Obama diz ser impossível transição pacífica na Síria com Assad no poder

"Não vejo um cenário em que Assad continue (no poder) e a violência se reduza", disse o presidente americano

EFE |

EFE

O presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, afirmou nesta terça-feira que tanto a Rússia como a China estão cientes dos "riscos" de uma guerra civil na Síria e considerou "impossível" conceber uma transição política pacífica no país árabe com o líder Bashar al Assad no poder.

"Não vejo um cenário em que Assad continue (no poder) e a violência se reduza", declarou Obama em entrevista coletiva ao término da Cúpula do G20 em Los Cabos (México).

AP
Obama durante seu discurso na reunião do G20


O chefe de Estado americano teve reuniões paralelas com os líderes da China, Hu Jintao, e da Rússia, Vladimir Putin, os dois países que até agora rejeitaram os projetos de resolução discutidos no Conselho de Segurança para condenar o regime sírio.

Segundo Obama, nem China nem Rússia estão alinhados com os EUA e outros países sobre como agir para frear a violência na Síria.

O líder americano voltou a insistir na perda de legitimidade do governo Assad e condenou os ataques do regime de Damasco contra a população civil. 

    Leia tudo sobre: EUAObamaSíriaAssadCúpula do G20

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG