Grécia forma coalizão de governo e líder conservador assume como premiê

De acordo com ex-ministro das Finanças Evangelos Venizelos, informações sobre os ministros serão divulgadas na noite desta quarta-feira

iG São Paulo | - Atualizada às

O líder do partido conservador Nova Democracia da Grécia, Antonis Samaras , assumiu nesta quarta-feira como primeiro-ministro para liderar uma coalizão de três partidos que respeitará os compromissos internacionais de resgate econômico do país.

Eleição: Após vitória, conservadores gregos tentam ampla coalizão de governo

AFP
Líder do Nova Democracia, Antonis Samaras, chega para encontro com presidente grego em Atenas. Samaras assumiu nesta quarta como primeiro-ministro

Samaras, de 61 anos, assumiu três dias depois de seu partido ter vencido no domingo a segunda eleição em seis semanas com 29,7%, mas sem votos suficientes para formar um governo por conta própria. O Nova Democracia juntará forças com o partido socialista Pasok, que ficou em terceiro, e o menor Esquerda Democrática.

A anúncio sobre a formação de governo foi feito previamente pelo líder do (Pasok) e ex-ministro das Finanças Evangelos Venizelos. "A Grécia tem um governo", disse Venizelos depois de negociações com Samaras .

De acordo com Venizelos, os detalhes de quem serão os ministros ainda estão sendo discutidos e serão finalizado na noite desta quarta-feira.

Ele disse que o novo governo será apresentado na próxima reunião de ministro de Finanças da zona do euro pelo atual titular da pasta Giorgos Zanias, que em breve deixará o cargo.

Espera-se que a coalizão tente amenizar as duras condições do pacote de resgate imposto à Grécia pela União Europeia e pelo Fundo Monetário Internacional.

O pequeno partido Esquerda Democrática, moderado, também participa da coalizão de governo. Seu líder, Fotis Kuvelis, disse que seu partido dará um voto de confiança à administração planejada por Samaras.

Antes do anúncio da coalizão, os três partidos, favoráveis ao acordo da Grécia com os credores europeus, haviam manifestado um acordo de princípio sobre a urgência de uma aliança governamental para tirar o país da grave recessão com uma "renegociação do memorando" - o plano de austeridade decidido pelos credores.

AP
Evangelos Venizelos, líder do partido socialista Pasok, da Grécia, deixa sala após coletiva em Atenas

Assim como o Nova Democracia e os socialistas do Pasok, Kuvelis deseja uma renegociação do plano de ajuste orçamentário imposto como condição para obter empréstimos. Em resumo, os três partidos desejam dar mais flexibilidade ao plano de austeridade. "O programa de governo, que está sendo negociado, deve tirar o país dos termos dolorosos impostos à sociedade grega", disse Kuvelis.

*Com AP, BBC e AFP

    Leia tudo sobre: gréciazona do euroeleição na grécia

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG