Pronunciamento feito durante a missa dominical do Ângelus na praça de São Pedro do Vaticano

EFE

O papa Bento 16 defendeu neste domingo que os direitos dos refugiados "sejam sempre respeitados e que, em breve, possam se reunir com seus entes queridos", em pronunciamento feito durante a missa dominical do Ângelus na praça de São Pedro do Vaticano.

Papa Bento 16 durante a missa dominical do Ângelus, na Praça São Pedro do Vaticano
AP
Papa Bento 16 durante a missa dominical do Ângelus, na Praça São Pedro do Vaticano

O pontífice lembrou a proximidade do dia 20 de junho, Dia Mundial do Refugiado, promovido pelas Nações Unidas para, segundo Bento 16, chamar a atenção da comunidade internacional sobre "as condições de muitas pessoas forçadas a fugir de sua própria terra ameaçadas por conflitos armados e graves formas de violência".

Em seu discurso, o papa destacou ainda que, neste domingo, será realizado o encerramento do 50º Congresso Eucarístico Internacional, "que nesta semana fez de Dublin a cidade da Eucaristia, onde muitas pessoas se recolheram em orações diante da presença de Cristo".

"No mistério da Eucaristia, Jesus quis permanecer conosco para nos fazer entrar em comunhão com ele e entre nós. Confiamos a Maria Santíssima os frutos maduros nesses dias de reflexão e oração", acrescentou.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.