Israel cria comitê ministerial sobre assentamentos liderado por Netanyahu

Comitê vai tratar de questões ligadas às colônias judaicas construídas no território palestino da Cisjordânia

EFE |

EFE

AFP
O primeiro-ministro Benjamin Netanyahu abre a reunião semanal de gabinete em seu escritório em Jerusalém

O governo israelense aprovou neste domingo a criação do Comitê Ministerial sobre Assuntos dos Assentamentos, que será presidido pelo primeiro-ministro Benjamin Netanyahu para tratar de questões ligadas às colônias judaicas construídas no território palestino da Cisjordânia.

O comitê será formado por dez ministros e terá "autoridade para formular a política do Executivo" no relativo às construções de colonos israelenses não regulamentadas sobre terras estatais e privadas palestinas na Cisjordânia, incluindo os casos que foram levados à Justiça, segundo o governo.

Leia também: Relatório de Israel critica premiê por ataque à frota humanitária a Gaza em 2010

É o caso dos proto-assentamentos judaicos, enclaves considerados ilegais também para Israel - pois, para o direito internacional, todas as colônias em território ocupado em 1967 são ilegais - que foram alvo de polêmica na Justiça. O comitê será integrado pelos vice-primeiros-ministros Shaul Mofaz e Moshé Yaalon e pelos ministros Ehud Barak (Defesa), Avigdor Liberman (Relações Exteriores), Daniel Hershkowitz (Ciência e Tecnologia), Eli Yishai (Interior), Yuli Edelstein (Diplomacia Pública), Gideon Sa'ar (Educação), Gilad Erdan (Meio Ambiente) e Benny Begin (sem pasta).

A votação deste domingo recebeu o voto contrário de Mofaz (que lidera o partido Kadima), de Barak e dos ministros Michael Eitan (Serviços Públicos) e Shalom Simhon (Indústria), informou o escritório de Netanyahu em comunicado.

Houve abstenções do vice-primeiro-ministro Silvan Shalom e dos ministros Stas Misezhnikov (Turismo), Yitzhak Aharonovich (Segurança Pública) e Sofa Landver (Imigração e Absorção).

Analistas locais interpretaram a criação do comitê como uma compensação de Netanyahu à ala mais direitista de seu governo, próxima aos colonos judeus. Esse setor político pedia há muito tempo ao ministro da Defesa, Ehud Barak, a retirada do poder de aprovar a construção nos assentamentos judaicos na Cisjordânia.

    Leia tudo sobre: israelcomitêNetanyahu

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG