Ministro do Interior do Quênia morre em acidente de helicóptero

Saitoti, que havia declarado intenção de concorrer à presidência no próximo ano, morreu em queda de aeronave perto de Nairóbi com mais cinco pessoas

iG São Paulo | - Atualizada às

O ministro do Interior do Quênia, George Saitoti, morreu neste domingo juntamente com seu assistente Orwa Ojode e mais quatro pessoas na queda do helicóptero no qual viajavam em uma área de floresta nos arredores da capital do país, Nairóbi.

O aparelho, um helicóptero da polícia queniana, caiu nas imediações da cidade de Kibiku, na zona de Ngong (sudoeste de Nairóbi), disse o vice-presidente Kalonzo Musyoka.

Além do ministro e de assistente, morreram no acidente seus guarda-costas e os dois pilotos da aeronave, disse Musyoka, que visitou o local do acidente na manhã deste domingo. Saitoti e Ojode viajavam para a circunscrição de Ndhiwa, no oeste do país, perto do Lago Vitória, para participar de um ato eclesiástico para a arrecadação de fundos.

No local do acidente, o primeiro-ministro Raila Odinga disse que a morte de Saitoti era uma "grande tragédia que atingiu nosso país no momento em que nos preparamos para realizar eleições pacíficas".

Ainda não está claro o que causou o acidente. A polícia queniana isolou a área e disse que está investigando.

Segundo testemunhas do acidente citados pelo Sunday Nation, o helicóptero caiu envolto em fumaça antes de se chocar contra o chão e arder em chamas. "O helicóptero soltava fumaça antes de cair. Ouvi duas explosões quando se incendiou", afirmou Rose Kwamboka, que presenciou o acidente. 

Saitoti, um economista e matemático treinado nos EUA, era uma das figuras mais proeminentes da política do Quência. Por mais de uma década, ele voi vice do ex-presidente Daniel arap Moi.

AP
Autoridades do Quênia inspecionam área de queda de helicóptero na floresta de Ngong forest, perto de Nairóbi. Acidente causou a morte de ministro George Saitoti

Al-Shabab:  Explosão deixa ao menos 28 feridos na capital do Quênia

Como ministro do Interior, ele era o porta-voz do governo sobre questões de segurança, incluindo a decisão do Quência de enviar tropas para a Somália no ano passado . Analistas dizem que ele desempenhou um papel-chave nessa decisão. Saitoti frequentemente aparecia na televisão nacional para acalmar a população depois de ataques mortais atribuídos ao grupo militante somali Al-Shabab .

No ano passado, ele anunciou que concorreria à presidência queniana em 2013.

*Com EFE e AP

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG