Ator pornô preso na Alemanha aceitará extradição para o Canadá

Luka Rocco Magnotta, canadense suspeito de matar e filmar o desmembramento de seu namorado, está preso em Berlim

iG São Paulo | - Atualizada às

AP
Ator pornô Luka Rocco Magnotta, 29 anos, suspeito de matar homem em Montreal e enviar partes de seu corpo a partidos políticos em Ottawa, Canadá

O ator pornô canadense Luka Rocco Magnotta, suspeito de matar e filmar o desmembramento de seu namorado, afirmou nesta terça-feira às autoridades da Alemanha que não tentará impedir sua extradição para o Canadá.

Magnotta, 29 anos, compareceu a uma audiência em um tribunal de Berlim, a capital alemã, onde foi preso na segunda-feira.

“Ele foi apresentado ao juiz, que confirmou sua detenção, e disse que não vai se opor à extradição”, afirmou o porta-voz do tribunal, Martin Steltner, acrescentando que tal decisão tornará o processo "mais rápido e fácil".

Leia também:  Ator pornô suspeito de desmembrar namorado é preso em Berlim

Segundo Steltner, Magnotta está em prisão provisória e foi transferido para uma prisão de Berlim. A Justiça alemã solicitou ao Canadá os documentos para a extradição, que ainda não foi pedida oficialmente.

Um mandado internacional de prisão foi emitido pela Interpol para Magnotta, depois que o tronco sem cabeça de seu namorado, o chinês Jun Lin, de 33 anos, foi encontrado em Montreal. As autoridades canadenses suspeitam do envolvimento de Magnotta com o envio de dois pacotes com membros humanos encontrados em Ottawa.

O ator pornô chegou a Berlim no sábado em um ônibus que partiu de Paris, na França. O porta-voz da Justiça alemã não especificou o que Magnotta fez entre sua chegada à cidade e sua prisão em um cibercafé, na segunda-feira.

Imagens das câmeras de segurança do cibercafé mostraram Magnotta entrando no local por volta das 12h. Ele falou com um funcionário e foi para seu computador ler notícias sobre o caso. Duas horas depois, policiais entraram no local e o algemaram. De acordo com a polícia, o ator pornô tentou dizer que era outra pessoa, até admitir: “Vocês me pegaram.”

Vítima

A suposta vítima do ator, o chinês Ju Lin, de 33 anos, morava no Canadá desde julho de 2011 e estudava engenharia e ciências da computação na Universidade Concordia, de Montreal.

Embora ainda não tenham sido divulgados os resultados da perícia, a polícia canadense diz estar certa de que as partes do corpo encontradas são do chinês.

No fim de maio, um pacote ensanguentado contendo um pé humano foi entregue no escritório do Partido Conservador, do qual faz parte o primeiro-ministro canadense, Stephen Harper.

O segundo pacote, que continha uma mão, foi encontrado pela polícia horas depois. Ele estava endereçado ao escritório do Partido Liberal de Ottawa, segundo a mídia local. Horas depois, um tronco sem cabeça foi encontrado no apartamento de Magnotta.

Também há indícios de que um vídeo postado na internet em que um homem usa um picador de gelo para matar outro seja a filmagem do assassinato do estudante.

Outros desdobramentos da investigação apontam que Magnotta pode estar ligado a vídeos postados online em 2012 mostrando dois filhotes de gato sendo sufocados dentro de um saco plástico e outro sendo engolido por uma cobra.

Com AP, AFP e BBC

    Leia tudo sobre: Luka Rocco Magnottacanadáottawaalemanhamontreal

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG