Dinamarca condena 4 por plano de ataque contra jornal por charges de Maomé

Homens são condenado a 12 anos de prisão cada um por planejar atentado contra sede do Jyllans-Posten em Copenhague

iG São Paulo |

AP
Zahbi Zalouti (esquerda), um dos condenados, em foto de 2010
Quatro homens foram condenados nesta segunda-feira a 12 anos de prisão cada um por plano de ataque contra o escritório de um jornal da Dinamarca que publicou charges do profeta Maomé.

Mounir Bem Mohamed Dharhri, Munir Awad, Omar Abdalla Aboelazm e Sabhi Bem Mohamed Zalouti foram considerados culpados de terrorismo.

Leia também:  Acusados de planejar ataque contra jornal são julgados na Dinamarca

Os quatro foram presos em dezembro de 2010, pouco antes do momento em que o ataque contra a sede do jornal Jyllans-Posten, localizada em Copenhague, estava programado para ocorrer.

O Jyllands-Posten foi o primeiro jornal a publicar as caricaturas de Maomé em 2005, provocando violentos protestos no Oriente Médio, na África e na Ásia. A representação do profeta Maomé é considerada um insulto para muçulmanos.

Na época, os homens - que têm residência sueca e ascendência no norte da África e no Oriente Médio – estavam sendo vigiados por agência de inteligência. Eles negaram as acusações.

Gravações secretas veiculadas durante o julgamento mostraram que os quatro homens se encontraram em 2010 em Estocolmo, na Suécia, durante uma reunião na qual discutiram um ataque ao jornal que causasse o maior número possível de vítimas. Além disso, eles planejavam fazer um refém.

Os quatro deixaram Estocolmo em 28 de dezembro de 2010 e se dirigiram ao sul de Copenhague, onde foram presos na manhã seguinte.

Zalouti, que tinha se separado do grupo durante a viagem, foi preso em Estocolmo no mesmo dia. Os homens estavam em posse de duas armas automáticas e mais de US$ 20 mil em dinheiro.

A promotoria acusou Dhahri de ser o líder do grupo. O tunisiano de 46 anos teria recebido treinamento na região de Waziristão, no Paquistão, entre 2008 e 2010. Ele negou a acusação e disse ter passado esse período na Europa.

No ano passado, um somali que vive na Dinamarca foi condenado por terrorismo e sentenciado a 10 anos de prisão por invadir a casa de um dos cartunistas em 2010.

Na semana passada, dois irmãos dinamarqueses de origem somali foram presos por suspeita de planejarem um ataque em resposta à publicação das charges.

Com AP

    Leia tudo sobre: dinamarcachargesmaomémuçulmanosJyllands Postenterrorismo

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG