George Zimmerman, que atirou em Trayvon Martin, tem 48 horas para se entregar após dúvidas sobre sua situação financeira

O vigia George Zimmerman, acusado de matar o jovem negro Trayvon Martin na cidade americana de Sanford, na Flórida, teve sua fiança revogada nesta sexta-feira por um juiz que exigiu que ele volte à prisão em no máximo 48 horas. Zimmerman admitiu ter baleado o jovem, mas alegou legítima defesa.

O juiz Kenneth Lester justificou a decisão dizendo que Zimmerman enganou o tribunal sobre suas condições financeiras quando sua fiança foi estabelecida em US$ 150 mil (cerca de R$ 305 mil). “Ele nos fez acreditar que não tinha um centavo”, afirmou o procurador Bernie De la Rionda. “Não sei que outra palavra usar para descrever além de ‘mentira’”.

Leia também:  Vigia acusado de matar jovem negro nos EUA arrecada US$ 204 mil

Durante a audiência que definiu a fiança, em abril, parentes de Zimmerman disseram, durante testemunho, que seus recursos financeiros eram limitados.

O advogado do vigia, Mark O’Mara, afirmou ter descoberto apenas dias depois que seu cliente tinha arrecadado cerca de US$ 135 mil pela internet até o dia da audiência – um dinheiro que não foi informado à justiça. Depois o valor arrecadado pelo vigia ultrapassou US$ 200 mil .

O’Hara afirmou que o erro foi “inocente” e que Zimmerman não está usando o dinheiro, porque não sabia se isso seria permitido. Ele acrescentou que o vigia colocou as casas dos pais e dos avós como garantia para o pagamento da fiança.

Procuradores também disseram que Zimmerman não informou à Justiça de que possuía um segundo passaporte. O primeiro foi entregue pelo vigia ao tribunal, numa medida determinada para impedir que ele deixasse o país..

A morte de Martin, 17 anos, levou a uma onda de protestos na Flórida e em outras partes do país contra a impunidade e a favor dos direitos civis. Martin voltava de uma loja de conveniência quando Zimmerman começou a segui-lo. Minutos depois, os dois começaram a brigar e o vigia sacou sua arma.

Segundo Zimmerman, o tiro foi dado em legítima defesa. Ele disse à polícia que Martin o havia atacado depois que ele havia desistido de perseguir o adolescente e estava retornando para seu veículo.

Com AP

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.