Confronto mata soldado de Israel e palestino na fronteira de Gaza

Palestino invadiu território israelense após abrir buraco em cerca elétrica; Israel retaliou com míssil que feriu 3 em território controlado por Hamas

iG São Paulo |

Um palestino com uma arma de fogo invadiu o território de Israel nesta sexta-feira e matou um soldado de 20 anos antes de ser morto, num raro ataque transfronteiriço atribuído por Israel ao grupo islâmico Hamas.

Concessão: Israel entrega restos mortais de militantes palestinos

AFP
Soldados israelenses e parentes participam de enterro do soldado Nitnel Moshiashvili, morto em tiroteio perto da fronteira com a Faixa de Gaza
Ênfase no hebraico: Escolas do Hamas em Gaza ensinam a língua do inimigo

O incidente aconteceu antes do amanhecer à altura da passagem de Kisufim, quando o miliciano abriu um buraco na cerca eletrônica que separa a Faixa de Gaza, controlada pelo Hamas, de Israel e conseguiu entrar no país. A brecha foi detectada pelos sensores eletrônicos, e efetivos da brigada Golani se deslocaram à área para impedir a invasão, desatando o tiroteiro.

O Hamas não comentou o incidente. O Exército de Israel disse que o atirador cruzou a cerca da fronteira com a intenção de matar civis e atingiu soldados enviados para interceptá-lo. "Os soldados da brigada Golani evitaram um atentado no território de Israel", disse uma porta-voz militar, ao assegurar que "o Exército não tolerará que terroristas palestinos ataquem nem soldados nem civis".

Fontes em Gaza disseram que o atirador morto era filiado à Jihad Islâmica. Mas essa facção, que opera de forma independente do Hamas, negou a responsabilidade, sugerindo que o homem poderia ter agido por conta própria.

Israel reagiu ao incidente disparando um míssil que deixou três feridos no sul da Faixa de Gaza. Militantes também dispararam foguetes a partir do território palestino, sem causar danos a Israel, segundo o Exército israelense.

Assista: Vídeos mostram colonos israelenses atirando contra manifestantes palestinos

Testemunhas palestinas ouviram uma explosão e tiros perto de Abassan, aldeia fronteiriça que também fica perto da fronteira Israel-Egito. Embora hostil a Israel, o Hamas tem refreado seus ataques nos últimos tempos, preferindo priorizar as negociações para uma partilha de poder nos territórios palestinos com seus rivais palestinos da facção Fatah.

*Com Reuters e EFE

    Leia tudo sobre: israelpalestinoshamasjihad islâmicafaixa de gaza

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG