Jornalista francês chega a Bogotá após ser libertado pelas Farc

Romeo Langlois, que partirá ainda nesta quinta-feira para Paris, disse que não sentiu medo durante os 33 dias de sequestro

iG São Paulo |

O jornalista francês Romeo Langlois, libertado nesta quarta-feira  pelas Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc) após 33 dias de sequestro, chegou à capital da Colômbia, Bogotá, onde foi recebido por dois irmãos. Os três devem partir ainda nesta quinta-feira para Paris.

Em entrevista à televisão francesa, Langlois disse que não sentiu medo durante o tempo que passou sequestrado. “Não estava muito preocupado”, afirmou. “Minha única preocupação foi o fato de ter perdido minha credencial de imprensa durante o combate, então inicialmente eles não sabiam quem eu era.”

Leia também:  Farc libertam jornalista francês na Colômbia

AP
Jornalista francês Romeo Langlois segura câmera de vídeo depois de chegar, escoltado por guerrilheiros das Farc, a San Isidro (30/05)

Segundo Langlois, quando convenceu os guerrilheiros de que era jornalista, recebeu uma garantia de libertação. “Eles disseram que me soltariam muito em breve e que eu não precisava me preocupar”, contou.

Langlois foi libertado na remota aldeia de San Isidro, no sulista Departamento (Estado) de Caquetá, com a ajuda de uma missão humanitária integrada, entre outros, por representantes do Comitê Internacional da Cruz Vermelha (CICV), o delegado do governo da França, Jean-Baptiste Chauvin, e a ex-senadora Piedad Córdoba. Logo após ser libertado, Langlois disse que nunca foi acorrentado ou mal tratado pela guerrilha.

O jornalista, no entanto, acusou as Farc e o governo de tentarem usar o incidente politicamente. "Fez-se muita política de ambos os lados", disse.

"Estou um pouco cansado, mas bem", disse Langlois. "Não precisava dessa experiência para conhecer o conflito armado. Tomara que o Exército continue levando pessoas (às operações militares), porque esse conflito não é coberto (jornalisticamente)", acrescentou, afirmando que é preciso continuar cobrindo o conflito.

A missão de resgate foi iniciada por volta das 5h no horário local (7h de Brasília), com o jornalista sendo entregue pela guerrilha no início da tarde. As operações militares na região foram suspensas por 36 horas para facilitar o resgate.

O jornalista foi sequestrado em 28 de abril, quando os guerrilheiros fizeram uma emboscada ao batalhão que o acompanhava na cobertura de uma operação antinarcóticos em uma zona rural de Montañita, município de Caquetá, sul da Colômbia. No confronto, quatro militares morreram. Langlois foi ferido no braço esquerdo durante o combate entre os militares que o acompanhavam e o grupo de guerrilheiros.

Com AP e EFE

    Leia tudo sobre: colômbiafarcromeo langloisfrança

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG