Homem abre fogo em café de Seattle, rouba carro, é perseguido pela polícia e dá um tiro na própria cabeça

Um homem armado abriu fogo contra um café de Seattle, noroeste dos Estados Unidos, nesta quarta-feira, deixando quatro mortos. Depois, ele matou uma mulher para roubar seu carro, foi perseguido pela polícia e se suicidou com um tiro na cabeça.

Leia também:  Atirador mata quatro no subúrbio de Phoenix, no Arizona

Imagem de câmera de segurança mostra suposto suspeito de abrir fogo em café nos EUA
Reuters
Imagem de câmera de segurança mostra suposto suspeito de abrir fogo em café nos EUA

O jornal The Seattle Times afirmou que o suspeito é Ian Lee Stawicki, 40 anos, que morreu no hospital. Oficialmente, a polícia não confirmou a informação, dizendo apenas acreditar que um mesmo homem seja responsável por todas as cinco mortes. “Neste momentos, estamos confiantes de que temos o suspeito”, afirmou o assistente-chefe da polícia de Seattle, Nick Metz.

Andrew Stawicki, 29 anos, disse ao Seattle Times ter reconhecido a foto do suspeito exibida por canais de televisão como sendo seu irmão, Ian, que teria problemas mentais. “Não é surpresa que isso tenha acontecido”, disse ele ao jornal. “Nada de bom pode vir de alguém com tanta raiva.”

De acordo com a polícia, os tiros foram disparados no Cafe Racer, um restaurante localizado ao norte da Universidade de Washington. O local costuma receber músicos e realizar atividades culturais, segundo moradores da região.

Uma imagem feita pelas câmeras de segurança mostrou um homem entrando no estabelecimento. Outra mostrou os bancos virados e um homem de pé, segurando o que parece ser uma arma.

Dois homens baleados morreram no local. Depois, outro homem e uma mulher morreram no hospital. O cozinheiro Leonard Mosa ficou ferido e está no hospital em situação grave, mas estável.

A polícia foi ao local, mas o suspeito conseguiu fugir seguindo em direção ao bairro First Hill, onde matou uma mulher, Gloria Leonidas, em um estacionamento e roubou seu carro. Ele dirigiu até West Seattle, parou o carro e seguiu a pé. Quando a polícia encontrou o carro, com uma arma no banco do passageiro, encheu a região de policiais uniformizados e à paisana.

Horas depois, um deles avistou o suspeito e chamou reforço. Quando a polícia se aproximou do homem, ele atirou contra a própria cabeça. Durante a perseguição, dias escolas foram fechadas.

Amigos e familiares das vítimas lamentam massacre
AP
Amigos e familiares das vítimas lamentam massacre

Com AP

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.