Explosão deixa ao menos 28 feridos na capital do Quênia

Polícia não encontra evidências de ataque terrorista, mas premiê culpa militantes do grupo islâmico Al-Shabab

iG São Paulo |

Uma explosão em um prédio comercial no centro de Nairóbi, capital do Quênia, deixou ao menos 28 feridos nesta segunda-feira. Embora a polícia tenha dito que não há evidência de ataque terrorista, o primeiro-ministro Raila Odinga disse se tratar de uma ação do grupo militante islâmico Al-Shabab, da Somália.

Leia também: Exército do Quênia diz que está 'destruindo' milícia somali

AP
Policiais tentam impedir acesso ao local de explosão em Nairóbi, no Quênia

“Esse ato é odioso. Eles querem assustar investidores e turistas, eles querem nos assustar, mas não conseguiram”, afirmou Odinga, em discurso no local da explosão. “Condenamos os terroristas e dizemos que seus dias estão contados.”

Uma autoridade da polícia que não quis ser identificada disse à agência Associated Press que não o fato de a explosão não ter deixado estilhaços pode indicar que não tenha se tratado de uma bomba.

“Não vamos especular sobre ataque terroristas. Pode ter sido um problema elétrico”, afirmou.

A explosão provocou uma densa e negra fumaça e quebrou os vidros das janelas do prédio. Feridos receberam atendimento médico na rua enquanto autoridades tentavam dispersar uma multidão de curiosos que se aglomerou no local. Quatro feridos sofreram lesões graves como queimaduras, fraturas e cortes profundos.

Militantes do Al-Shabab representam uma forte ameaça para o Quênia desde outubro, quando o governo queniano decidiu enviar tropas para ajudar a Somália no combate aos militantes.

O governo do Quênia atribuiu vários sequestros ao grupo, bem como ataques cometidos com granadas. O último deles acontece na noite de sábado no campo de refugiados de Dadaab, deixando seis feridos.

Com AP

    Leia tudo sobre: quênianairóbial shababsomáliaterrorismo

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG