Artefato tem capacidade de driblar sistemas antimísseis, inclusive o da Otan na Europa, criticado por Moscou

A Rússia testou com sucesso nesta quarta-feira um novo míssil intercontinental com capacidade de driblar sistemas antimísseis, anunciou o ministério russo da Defesa. De acordo com a agência Interfax, o míssil testado foi projetado para evitar o escudo daOrganização do Tratado do Atlântico Norte (Otan) na Europa.

Leia também: Rússia ameaça usar 'força destrutiva' contra escudo antimíssil

O míssil foi lançado da base de Plesstsk, norte do país, e sua ogiva atingiu o alvo no polígono de Kura, em Kamchatka, uma península do Extremo Oriente russo, no Pacífico, informou o porta-voz do ministério, Vadim Koval. "Os alvos do lançamento foram alcançados.”

Em comunicado, o ministério disse que o míssil vai “fortalecer a capacidade de combate do país graças a sua capacidade de penetrar em sistemas de defesa antimísseis.”

A primeira fase do projeto de escudo antimísseis da Otan foi declarada operacional no domingo, durante a reunião de cúpula da Aliança nos Estados Unidos. A Rússia considera a implementação do escudo uma ameaça a sua segurança.

Militares europeus dizem que o objetivo é proteger o continente de ameaças de países como o Irã. A Otan disse querer cooperar com a Rússia nessa questão, mas recusou a proposta de Moscou de operarem o escudo juntos.

Com AP e AFP

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.