Pastor dos EUA causa indignação ao sugerir prender gays como gado

Em missa em 13 de maio, batista Charles Worley disse para cercar homossexuais e deixá-los à própria sorte: 'Em alguns anos morrerão, não podem se reproduzir'

iG São Paulo |

Um pastor americano causou indignação na internet depois de sugerir que homossexuais sejam presos em um cercado elétrico como gado e abandonados para que morram.

O reverendo Charles Worley manifestou essas ideias em 13 de maio - Dia das Mães - em sua igreja batista de Maiden, na Carolina do Norte, Estado que proibiu o casamento homossexual este mês por referendo.

Diante dos fiéis, declarou: "Construam um grande cercado (...), ponham todas as lésbicas dentro, voem acima delas e atirem-lhes comida. Façam o mesmo com os homossexuais e garantam que a cerca seja elétrica, para que não possam sair... e em alguns anos morrerão (...), não podem se reproduzir", disse o pastor em um vídeo no Youtube, que nesta terça-feira tinha 305 mil acessos.

Uma associação local que milita contra a incitação ao ódio lançou uma campanha nas redes sociais e organiza uma manifestação domingo em frente à igreja.

"Temos de encher a rua, em frente à igreja, com pessoas de bom senso, para dizer ao mundo que o ódio não é bem-vindo em nossa comunidade", destaca a mensagem dos "Cidadãos do Vale de Atawba contra o Ódio", difundida no Facebook.

Assista ao vídeo com o sermão do pastor em inglês:

O pastor, que não reagiu aos protestos que desencadeou, também afirmou que não votaria "em um assassino de crianças e um amante de homossexuais", uma referência implícita a Barack Obama, que recentemente declarou seu apoio ao casamento entre pessoas do mesmo sexo .

    Leia tudo sobre: euahomossexualismogaycarolina do nortecasamento gayWorley

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG