Argentina encontra bomba onde Álvaro Uribe daria palestra

Colômbia condena tentativa de ataque contra ex-presidente; artefato seria acionado por controle remoto em teatro de Buenos Aires

iG São Paulo |

AP
O ex-presidente colombiano Álvaro Uribe (foto de arquivo)
Uma bomba que é ativada por meio de um telefone celular foi encontrada nesta terça-feira escondida em uma lâmpada de um teatro central de Buenos Aires onde estava previsto que o ex-presidente da Colômbia Alvaro Uribe (2002-2010) daria uma palestra na quarta-feira, informou uma fonte judicial sob anonimato.

Medellín: Cidade da Colômbia cresce juntamente com suas esperanças

"Não houve ligação telefônica de aviso. Em uma inspeção, funcionários da segurança encontraram a bomba em uma lâmpada do teatro. É das que se ativam pelo celular", disse a fonte judicial.

Por causa da bomba encontrada, a polícia federal realizou uma forte operação com dois caminhões da Brigada Antiexplosivos e interrompeu o tráfego na tradicional avenida Corrientes, onde se localiza o Teatro Gran Rex, um dos maiores de Buenos Aires, a cem metros do Obelisco.

O teatro será sede na quarta-feira do WOM Leadership Symposium 2012, que será realizado sob o lema "A influência Marca a Diferença", no qual Uribe deve dar uma conferência sobre "como desenvolver estratégias transformadoras para criar uma liderança sustentável".

Grupos de esquerda convocaram para quarta-feira uma manifestação contra a presença do ex-presidente colombiano em Buenos Aires.

Entre os expositores de quarta-feira também figuram Manuel Estiarte, diretor de Relações Externas do clube de futebol Barcelona, o consultor irlandês Kevin Kelly e o canadense Guy Caron, ex-diretor do Cirque du Soleil.

O governo colombiano reagiu às informações condenando o plano de ataque. O ministro da Defesa colombiano, Juan Carlos Pinzón, expressou solidariedade a Uribe e disse que não vê explicações para uma tentativa de atentado contra o ex-líder.

Há duas semanas, o ex-ministro Fernando Londoño, um dos fiéis do ex-presidente,

ficou ferido em um atentado

que custou a vida de seu motorista e de um guarda-costas. Ele acusou as Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc) pelo incidente.

*Com EFE e AFP

    Leia tudo sobre: colômbiaargentinateatro gran rexbuenos airesbomba

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG