Ataque à escola na Itália foi cometido por apenas um homem, diz investigador

Procurador-chefe de Brindisi diz que atentado provavelmente foi 'ato isolado', enfraquecendo tese de envolvimento da máfia

iG São Paulo |

O ataque a uma escola que matou uma menina de 16 anos na Itália neste sábado foi provavelmente cometido por apenas um indivíduo, informaram autoridades do país neste domingo. A explosão de uma bomba em Brindisi, que também deixou dez feridos, provocou comoção entre os italianos.

O procurador-chefe de Brindisi, Marco Dinapoli, que lidera as investigações, disse que evidências em vídeo sugerem que apenas um homem está pro trás da explosão. Ele não deu detalhes, mas disse que um suspeito já foi identificado. “Parece ser obra de uma única pessoa. A hipótese mais provável é que tenha sido um ato isolado”, afirmou. “No momento, não entendemos qual a motivação do ataque.”

Leia também: Explosão em escola da Itália mata estudante de 16 anos

AP
Massimo Bassi, pai de Melissa, estudante morta em ataque à escola, participa de missa em Mesagne, perto de Brindisi

O fato de a escola atacada levar o nome de Francesca Morvillo, uma juíza antimáfia morta em um atentado em 1992, levantou suspeitas sobre a possibilidade de mafiosos estarem por trás do ataque, não reivindicado por nenhum grupo.

A explosão aconteceu apenas alguns dias antes do 20º aniversário da morte de Francesca, assassinada junto a seu marido, o juiz Giovanni Falcone, ambos vítimas de um ataque da máfia Cosa Nostra que também matou três guarda-costas.

No sábado, a ministra italiana do Interior, Anna Maria Cancellieri, afirmou não ter elementos suficientes para atribuir o ataque ao crime organizado. “Não é o tipo de ação usual da máfia”, afirmou, em entrevista à Sky News, se referindo ao fato de a Cosa Nostra, que atua na Sicília, geralmente ter como alvos juízes, procuradores ou grupos rivais, e não civis em uma escola.

A bomba explodiu pouco antes das 8h (horário local), quando estudantes se preparavam para uma aula no instituto, especializado em treinamento para profissionais de moda e serviço social. Melissa Bassi, 16 anos, morreu.

O presidente da Itália, Giorgio Napolitano, manifestou seu "pesar" aos familiares das vítimas do ataque, enquanto o primeiro-ministro italiano, Mario Monti, prometeu uma investigação sobre o caso. "O governo tem a intenção de operar com firmeza e determinação na luta contra todo tipo de criminalidade e favorecer a máxima coesão de todas as forças políticas e sociais", afirmou Monti.

Veja imagens do ataque:

Com AP e Reuters

    Leia tudo sobre: itáliabrindisimáfiaFrancesca MorvilloGiovanni Falcone

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG