Sete nacionalistas são acusados de terrorismo na Irlanda do Norte

Entre os acusados estão três parentes de Colin, importante figura ligada ao grupo separatista IRA Autêntico

iG São Paulo |

Sete nacionalistas irlandeses, incluindo três parentes de uma autoridade do grupo militante IRA Autêntico, foram acusados de terrorismo neste sábado, um uma das questões de segurança de maior visibilidade da província nos últimos anos.

Os parentes de Colun Duffy, um líder nacionalista na cidade de Lurgan, compareceram a um tribunal em Belfast e foram colocados sob custódia, não podendo deixar a prisão até a próxima audiência, em 8 de junho.

Leia também: Polícia desativa bombas na Irlanda do Norte

AP
Colin Duffy (centro) caminha em frente à tribunal em Belfast após parentes serem acusados de terrorismo

Duffy, que não está entre os acusados, foi absolvido neste ano de acusações relacionadas a um ataque da facção à instalação militar Massereene Barracks, na cidade de Antrim, há três anos.

Os irmãos dele, Paul, 47 anos, e Damien, 42 anos, e o primo Shane, 41, foram acusados de preparar atos de terrorismo, conspirar para cometer assassinato e conspirar para causas explosões. Paul Duffy também foi acusado de ser um “dirigente terrorista”;

Os outros quatro suspeitos, incluindo uma mulher de 37 anos, foram acusados de comparecer a um campo de treinamento para militantes próximo à cidade de Omagh. Eles também terão de aguardar a nova audiência na prisão.

O IRA Autêntico é um dos vários grupos que se opõem ao acordo de paz de 1998 que praticamente deu fim a três décadas de matanças entre nacionalistas irlandeses, em sua maioria católicos, que se opunham ao domínio britânico sobre a Irlanda do Norte, e unionistas, de religião majoritariamente protestante, que queriam que a soberania britânica continuasse.

Com Reuters

    Leia tudo sobre: irlanda do norteiraira autênticocolin duffyterrorismo

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG