Príncipe Harry 'estreia' como músico no Jubileu da rainha Elizabeth

Segundo filho de Charles e Diana toca pandeiro, mas não canta, em canção escrita para marcar Jubileu de Diamantes da avó

EFE |

AgNews
Príncipe Harry carrega criança no colo durante visita ao Complexo do Alemão, no Rio de Janeiro (10/3)
O príncipe Harry estreou na indústria fonográfica tocando um pequeno pandeiro em uma canção escrita pelo músico Gary Barlow, integrante do grupo pop Take That, para comemorar o Jubileu de Diamante de sua avó, a rainha Elizabeth 2ª.

Homenagem: Madame Tussauds apresenta nova estátua de cera da rainha Elizabeth 2ª

No entanto, segundo a agência Press Association, o filho mais novo de Charles e da princesa Diana de Gales, grande fã de música, negou-se a emprestar sua voz a "Sing", uma canção que será interpretada ao vivo nos jardins do Palácio de Buckingham em 4 de junho como parte das comemorações pelos 60 anos da rainha britânica no trono .

A letra da canção foi escrita por Barlow e a composição elaborada pelo compositor britânico Andrew Lloyd Webber, autor de musicais famosos como "Cats" e "O Fantasma da Ópera".

A expectativa é de que a música saia ao mercado no final de mês, como o primeiro single com a participação de um membro da casa real britânica nas listas de vendas. A canção, gravada no famoso estúdio londrino Abbey Road, também contou com a participação de 210 músicos de diferentes pontos da Commonwealth.

Entre eles estão a "Royal Solomon Islands Police Force Band", a Orquestra Sinfônica de Sydney, baterias quenianas e o músico australiano Gurrumul, assim como outros nomes da indústria musical como Sly & Robbie, o guitarrista Ernest Ranglin ou My Boy Lollipop.

O príncipe Harry, de 28 anos, gravou sua parte na Jamaica, durante uma viagem representando Elizabeth 2ª por causa do Jubileu. O músico de Take That também estava na viagem, por sugestão do príncipe Charles. Barlow disse que Harry é "divertido, relaxado e um cara legal".

Giro internacional: Príncipe Harry diz que visita ao Brasil e ao Caribe foi 'emocionante'

"Falamos com ele em seu último dia na Jamaica e perguntamos se participaria do disco, mas nos disse que não cantava. No entanto, expliquei que queria que tocasse o pequeno pandeiro", lembrou Barlow.

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG