Lista de convidados para almoço de Jubileu de Elizabeth 2ª atrai críticas

Reino Unido é criticado por convite a rei do Bahrein, que está envolvido em repressão à dissidência, e ao perdulário rei da Suazilândia

AP |

O Reino Unido foi alvo de críticas por convidar o rei do Bahrein, cujo governo está envolvido em uma brutal repressão contra a dissidência política , para participar de um almoço em comemoração do Jubileu de Diamantes da rainha Elizabeth 2ª, que marca seus 60 anos no trono.

Reuters
O rei do Bahrein, Hamad bin Isa Al Khalifa, afasta-se após comprimentar a rainha Elizabeth 2ª e o príncipe Philip (D) antes de almoço em Windsor
Outro convite que causou polêmica foi o feito ao rei Mswati 3º, da Suazilândia, que é acusado de manter um estilo de vida perdulário enquanto sua população passa fome.

Música: Príncipe Harry 'estreia' como músico no Jubileu da rainha Elizabeth

O almoço do Castelo de Windsor concentrou a maior quantidade de monarcar estrangeiros no Reino Unido desde que o príncipe William se casou com Kate Middleton no ano passado. Naquela ocasião, como agora, a decisão de estender o convite para os membros da família real do Bahrein indignou aqueles que estão ultrajados com a violência empregada contra os manifestantes desde o início dos protestos no Estado do Golfo.

O príncipe da Coroa do Bahrein, Salman bin Hamad Al Khalifa, acabou por não comparecer ao casamento real, dizendo não querer que a controvérsia manchasse o dia feliz do casal. Mas nesta sexta-feira o Palácio de Buckingham confirmou que seu pai, King Hamad bin Isa Al Khalifa, compareceu ao almoço da rainha - juntamente com outros 45 convidados reais de vários lugares do mundo.

O legislador trabalhista e ex-ministro de Relações Exteriores Denis MacShane disse que os diplomatas deveriam ter tentado não permitir a aproximação de Al Khalifa da rainha "em vez de expô-la a uma refeição com um déspota". Um grupo republicano antimonarquia caracterizou o almoço de "um erro catastrófico de julgamento" que "seriamente prejudica a reputação britânica".

A chancelaria britânica, que aconselhou o Palácio de Buckingham sobre os convites, disse que os laçõs britânicos do Reino Unido com o Bahrain permitiram às autoridades britânicas falar francamente com a estratégica nação sobre "vários assuntos, incluindo aqueles com os quais nos preocupamos".

A controvérsia relacionada ao rei da Suazilândia fez com que manifestantes se concentrassem no início desta semana em frente de um hotel de Londres onde achavam que ele estivesse hospedado com sua comitiva.

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG