Jovem baleada por Breivik se escondeu embaixo de corpo para se salvar

Ingvild Leren Stensrud, 17 anos, foi protegida por menina morta que caiu em cima dela durante massacre de extremista da Noruega

iG São Paulo |

Uma jovem ferida pelo extremista Anders Behring Breivik no ataque a Ilha de Utoya , na Noruega, afirmou nesta quarta-feira que conseguiu se salvar ao se esconder embaixo de um corpo. Ingvild Leren Stensrud foi uma das testemunhas ouvidas em mais um dia do julgamento de Brevivik, que assumiu o duplo ataque que deixou 77 mortos em julho do ano passado.

Leia também: Homem ateia fogo ao próprio corpo em frente ao julgamento de Breivik

AP
O extremista Anders Berhing Breivik durante julgamento em Oslo, na Noruega

Ingvild, 17 anos, disse ter começado a correr assim que ouviu os tiros na ilha, buscando refúgio em um café assim como outros jovens. Breivik seguiu o grupo e atirou contra Ingvild e outra jovem, cujo corpo caiu em cima do dela. A garota, então, ficou escondida em baixo da vítima, esperando o extremista ir embora. “Foram segundos terríveis”, afirmou.

Quando teve a certeza de que Breivik não estava no local, ela olhou para cima e viu outros dois sobreviventes. Em seguida, Ingvild usou o telefone da menina morta para ligar para a polícia e para sua mãe.

O extremista não demonstrou emoção em nenhum momento do relato.

Leia também: Saiba como extremista executou plano de ataque na Noruega

Desde segunda-feira o tribunal ouve jovens que ficaram feridos durante o massacre na Ilha de Utoya. Uma das testemunhas de terça-feira foi Ina Rangnoenes Libakl, que foi baleada quatro vezes na cabeça, peito e mandíbula.

Mesmo ferida, ela correu para se esconder atrás de um piano no mesmo café e depois por um corredor, enquanto pensava: “Estou morrendo, é isso que é morrer”, contou.

Na semana passada, o tribunal que julga Breivik ouviu sobreviventes que não ficaram feridos no massacre de Utoya. Anteriormente foram ouvidas testemunhas do primeiro ataque cometido pelo extremista em 22 de julho de 2011: a explosão de um carro-bomba em Oslo .

O extremista assumiu a responsabilidade pelo duplo ataque, mas se declarou inocente das acusações criminais dizendo que suas vítimas tinham traído a Noruega ao abraçar a imigração.

A questão crucial do julgamento é determinar a sanidade de Breivik e se ele será encaminhado a uma prisão ou à assistência psiquiátrica compulsória pelo ataque duplo. Uma avaliação psiquiátrica o caracterizou como psicótico e "delirante" , enquanto outra o considerou competente mentalmente para ser enviado à prisão.

Com AP e BBC

    Leia tudo sobre: noruega sob ataquebreivikoslouotyanoruega

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG