Aeronave foi atingida 4 minutos após decolar para Berlim e teve de retornar a aeroporto; incidente atrasou em uma hora e meia encontro com Merkel

O avião no qual o novo presidente francês, François Hollande, viajava nesta terça-feira rumo a Berlim para se reunir com a chanceler alemã , Angela Merkel, teve de retornar a Paris após ser alcançado por um raio em pleno voo. Ninguém ficou ferido.

Novo líder: François Hollande toma posse como presidente da França

Chanceler alemã, Angela Merkel (E), recebe o novo presidente francês, François Hollande, com honras militares em Berlim
AP
Chanceler alemã, Angela Merkel (E), recebe o novo presidente francês, François Hollande, com honras militares em Berlim
Nomeação: Jean-Marc Ayrault é nomeado primeiro-ministro da França

O avião, um Falcon 7X da presidência francesa, aterrissou no aeroporto em que havia decolado minutos antes, e Hollande sua equipe foram transferidos para outra aeronave, um Falcon 900, para poder seguir para a Alemanha. O incidente causou uma hora e meia de atraso para o encontro com Merkel, o primeiro compromisso internacional do presidente francês após assumir o cargo.

De acordo com a BFMTV, o avião foi atingido por um raio quatro minutos depois da decolagem do aeroporto de Villacoublay, nos arredores de Paris. Dessa forma o comandante decidiu retornar para proceder com as verificações técnicas.

O avião atingido pelo raio decolou por volta das 17h locais (12h de Brasília). Hollande viajou para Berlim poucas horas depois de tomar posse na presidência nesta manhã durante uma rápida cerimônia no Palácio do Eliseu, em Paris, onde foi recebido pelo ex-presidente Nicolas Sarkozy, que derrotou na eleição presidencial.

Em discurso para 400 convidados, Hollande disse que tentará alterar o pacto europeu para incluir medidas de incentivo ao crescimento às políticas de redução de déficit que, segundo críticos, estão piorando as expectativas de expansão do bloco. "Para sair da crise a Europa precisa de projetos de solidariedade e crescimento", afirmou. A chanceler alemã se opõe a qualquer mudança no pacote de austeridade.

Após a posse, Hollande nomeou Jean-Marc Ayrault, líder dos socialistas na Câmara baixa do Parlamento, ao cargo de primeiro-ministro . Ayrault, 62 anos e ex-prefeito de Nantes, substituirá o conservador François Fillon.

O premiê ficará encarregado de formar o novo governo da França, que deve ser anunciado na quarta-feira. Ayrault é fluente em alemão, o que é visto já como vantagem para Hollande, que busca um bom relacionamento com Merkel.

A previsão é que Hollande participe de um jantar com a chanceler alemã. "Será uma maneira de nos conhecermos. E também para dizermos com franqueza o que pensamos sobre o futuro da Europa", disse Hollande na segunda-feira. “A França e a Alemanha precisam trabalhar juntas, mas não pensamos da mesma forma sobre determinados assuntos. E falaremos a respeito para encontrarmos compromissos.”

Sarkozy cumprimenta o novo presidente da França, François Hollande, em cerimônia de posse
AP
Sarkozy cumprimenta o novo presidente da França, François Hollande, em cerimônia de posse
A chanceler declarou que receberia Hollande "de braços abertos", mas, por trás das declarações diplomáticas, Merkel não tem dado sinais de que pretende mudar sua posição em relação à necessidade de controlar os gastos públicos na Europa para superar a crise. A previsão é de que os dois líderes mantenham discussões em busca de posições comuns para levá-las à reunião extraordinária de líderes da União Europeia (UE) no próximo dia 23 e depois à próxima Cúpula do bloco, nos dias 28 e 29 de junho.

*Com EFE, Reuters e BBC

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.