Farc pedem presença da França e da Cruz Vermelha para libertar jornalista

Langlois está em poder das Farc desde 28 de abril, quando a guerrilha atacou um grupo de policiais e militares durante operação

iG São Paulo |

As Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc) pediram a presença de um representante do novo governo da França, da ex-senadora Piedad Córdoba e do Comitê Internacional da Cruz Vermelha (CICV) para libertar o jornalista francês Roméo Langlois , informou em comunicado neste domingo.

Negociação Colômbia rejeita exigência das Farc para libertar jornalista francês
Oferta: Brasil se dispõe a participar de operação para libertar jornalista francês

AP
Imagem sem data mostra o jornalista francês Romeo Langlois, desaparecido na Colômbia
Langlois está em poder das Farc desde 28 de abril, quando a guerrilha atacou um grupo de policiais e militares durante uma operação antidrogas no departamento do Caquetá. O jornalista estava realizando uma reportagem sobre a ação.

A Cruz Vermelha acrescentou que o organismo trabalhará para atender o pedido e reiterou que sempre esteve disposto a colaborar com a libertação de Langlois.

O correspondente da rede de televisão "France 24" e do jornal "Le Figaro" de 35 anos, caiu em poder das Farc quando se deslocava para realizar uma reportagem para a emissora de televisão France 24. As Farc disseram pouco depois que o tinham como "prisioneiro de guerra", pois Langlois havia recebido um colete e um capacete do Exército para sua proteção.

* Com EFE e AFP

    Leia tudo sobre: COLÔMBIAFARCLanglois

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG