Vídeo de monges bebendo e jogando causa polêmica na Coreia do Sul

Chefe da ordem Jogye faz pedido público de desculpas após divulgação de imagens de 'farra' em hotel de luxo

iG São Paulo |

Seis líderes da maior ordem budista da Coreia do Sul pediram demissão após a divulgação de gravações que mostravam monges jogando pôquer, bebendo e fumando. O chefe da ordem Jogye, que tem por volta de 10 milhões de seguidores, ou cerca de um quinto da população, fez um pedido público de desculpas nesta sexta-feira, prometendo "autoarrependimento".

Galeria: Fotógrafo registra rotina de monges lutadores do templo Shaolin na China

O escândalo explodiu poucos dias antes de os coreanos celebrarem um feriado nacional pelo nascimento de Buda, o dia mais sagrado do calendário da religião. Redes sul-coreanas de TV transmitiram imagens de monges jogando pôquer, alguns fumando e bebendo, depois de se reunirem em um hotel de luxo no final de abril para o funeral de um monge.

Veja o vídeo que provocou polêmica:


"As apostas para 13 horas de jogo eram de mais de 1 bilhão de wons (US$ 875.300)", disse Seongho, um monge sênior que usa apenas um nome, e disse ter recebido as imagens em um pen drive de uma fonte que não quis revelar. As imagens teriam sido feitas por uma câmera escondida no hotel.

Jogar fora de cassinos licenciados e pistas de corridas de cavalos é ilegal na Coreia do Sul e desaprovado pelos líderes religiosos. "Basicamente, as regras budistas dizem para não roubar. Olhe para o que eles fizeram, eles abusaram de dinheiro de budistas para jogar", disse Seongho.

Com Reuters

    Leia tudo sobre: coreia do sulmongesbudistas

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG