Site: Após apoiar casamento gay, Obama recebe US$ 1 milhão em 90 minutos

Equipe não confirma arrecadação, anunciada por democrata; um em cada seis arrecadadores de fundos de Obama são homossexuais

EFE |

A campanha eleitoral do presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, arrecadou US$ 1 milhão em apenas 90 minutos depois que o líder declarou publicamente seu apoio ao casamento entre homossexuais, informou nesta quinta o portal BuzzFeed citando o democrata Eugene Sepulveda, um antigo arrecadador de fundos que neste ano optou por ter um trabalho não partidário.

Tema eleitoral: Obama declara apoio ao casamento gay

AP
Manifestantes mostram apoio a Obama durante sua visita a Seattle um dia depois de endosso a casamento gay
Análise: Ao apoiar casamento gay, Obama assume risco calculado

Consultada pela EFE, uma porta-voz da campanha Obama 2012 não quis confirmar nem desmentir a informação. "Não podemos confirmar a soma arrecadada e também não falamos dos valores totais da arrecadação de fundos", afirmou.

Em todo caso, a campanha de Obama espera arrecadar mais US$ 12 milhões com um exclusivo jantar organizado pelo ator George Clooney com esse objetivo. O evento será realizado em Los Angeles, na Califórnia.

Obama, que deseja se reeleger nas eleições presidenciais de novembro, terá sua candidatura confirmada na Convenção Democrata na Carolina do Norte, em setembro.

Fundos: Evento na casa de George Clooney deve arrecadar milhões para Obama

Acusação: Romney nega que praticou bullying contra colegas gays na adolescência

As entradas para ao jantar na casa do conhecido ator, situada na área de Studio City, foram vendidas rapidamente. Espera-se que a comunidade homossexual compareça maciçamente ao jantar, já que Clooney defendeu em diversas ocasiões o casamento entre pessoas do mesmo sexo.

Segundo dados do jornal The Washington Post, uma em cada seis pessoas que se ocupam de buscar fundos para Obama são homossexuais assumidos. Em entrevista à emissora ABC na quarta, Obama se mostrou a favor do casamento homossexual e, com isso, passou a ser o primeiro presidente dos EUA a apoiar essa questão.

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG