Com 299 votos a favor e 144 contra, ex-presidente troca de cargo com Putin e é nomeado novo premiê do país

O Parlamento da Rússia aprovou nesta terça-feira a nomeação do ex-presidente Dmitri Medvedev como novo primeiro-ministro do país. Com isso, Medvedev troca de cargo com Vladimir Putin, que tomou posse como presidente na segunda-feira.

A indicação de Medvedev ao cargo de primeiro-ministro, feita por Putin logo depois de tomar posse, recebeu 299 votos a favor e 144 contra. Para ser aprovado, ele precisava do apoio de pelo menos 226 dos 450 integrantes da Duma.

Leia também: Em meio a protestos, Putin toma posse como presidente da Rússia

O novo premiê russo, Dmitri Medvedev, e o presidente do país, Vladimir Putin, durante votação no Parlamento
AP
O novo premiê russo, Dmitri Medvedev, e o presidente do país, Vladimir Putin, durante votação no Parlamento

Antes da votação, Putin defendeu a nomeação de Medvedev descrevendo-o como “um político experiente” que “ama sinceramente sua pátria”. A indicação recebeu o apoio dos 238 parlamentares do partido dos dois, o Rússia Unida, e de integrantes do Partido Liberal Democrático, do excêntrico ultranacionalista Vladimir Jirinovski. O Partido Comunista e a Rússia Justa, de orientação social-democrata, votaram contra.

Em seu discurso após a aprovação, o novo primeiro-ministro propôs aprovar cinco programas prioritários referentes à educação, ciência e tecnologia, agricultura e indústria florestal, defesa do meio ambiente e da cultura.

Medvedev rejeitou a proposta de adiar o ingresso da Rússia na Organização Mundial do Comércio e defendeu melhorar o clima de investimentos do país e elevá-lo até 25-27% do Produto Interno Bruto (PIB).

O novo primeiro-ministro enfatizou que "o Estado pode em alguns casos intervir diretamente na economia, mas apenas em caso de necessidade, com motivos claros para o mundo empresarial ou situações de crise".

Putin também destacou que Medvedev estará "aberto ao diálogo" com todas as forças políticas, no momento em que a Rússia vive uma onda sem precedentes de protestos antigoverno nas ruas.

Durante a madrugada, a polícia invadiu uma manifestação em um parque próximo ao Kremlin. De acordo com os policiais, a presença dos cerca de 150 manifestantes impedia a limpeza do parque.

Pelo menos 22 detenções foram feitas, incluindo dois líderes da onda de protestos, Alexei Navalny e Sergei Udaltsov. "Que vergonha!", gritavam alguns manifestantes, enquanto eram expulsos do local.

Apesar de denúncias de fraudes feitas por observadores internacionais, Putin foi declarado vencedor da eleição presidencial com 64% dos votos. A oposição e os manifestantes não reconhecem a legitimidade do resultado oficial.

Com AP, Reuters e AFP

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.