Agente infiltrado conseguiu abortar ataque contra avião comercial

Agente entregou a membros da CIA na Arábia Saudita artefato que Al-Qaeda do Iêmen planejava explodir no aniversário da morte de Bin Laden

iG São Paulo |

Um agente infiltrado conseguiu abortar um atentado preparado contra um avião que fazia a rota entre Iêmen e Estados Unidos, entregando a membros da CIA na Arábia Saudita um artefato explosivo, disse nesta terça-feira a rede americana ABC. O plano era explodir a bomba no primeiro aniversário de morte de Osama bin Laden , em 2 de maio

Terrorismo: EUA frustram plano para atacar avião no aniversário de morte de Bin Laden

Obama: Morte de Bin Laden foi dia mais importante de minha presidência

O agente conseguiu sair "sem problemas do Iêmen" com a bomba e a entregou a oficiais na Arábia Saudita. "Trabalhava em segredo para a CIA (Agência Central de Inteligência) e para outras agências de inteligência", segundo a ABC, que não informou a nacionalidade do agente.

De acordo com o jornal americano The New York Times, depois de passar semanas infiltrado no braço mais perigoso da Al-Qaeda, a

Al-Qaeda na Península Arábica

, o agente agora está a salvo na Arábia Saudita.


A CIA não forneceu mais detalhes sobre a operação para desmantelar o complô ou sobre o agente infiltrado. Os EUA anunciaram na segunda-feira que haviam frustrado um ataque suicida contra um avião comercial entre o Iêmen e os EUA "similar" à tentativa frustrada de atentado do Natal de 2009.

Em 25 de dezembro de 2009, Umar Faruk Abdulmutalab , um nigeriano de 23 anos, tentou detonar explosivos que carregava em sua cueca e que conseguiu levar a bordo de um avião comercial com rota de Amsterdã (Holanda) a Detroit (nordeste dos EUA) com 290 passageiros. O ataque foi planejado pelo braço da Al-Qaeda na Península Arábica , com base no Iêmen.

Sentença: Nigeriano que tentou explodir avião é condenado à prisão perpétua

"Nenhum avião comercial" e "nenhum americano aliado" esteve em perigo, afirmou a Casa Branca, que informou que o presidente Barack Obama conhecia a situação desde abril.

O presidente americano "pediu ao Departamento de Segurança Interna, às forças de ordem e aos serviços de inteligência que adotassem as medidas necessárias visando a evitar esse tipo de atentado", informou um porta-voz do Conselho de Segurança Nacional, Caitlin Hayden.

    Leia tudo sobre: al qaedaiêmenciaeuaabdulmutallabarábia saudita

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG