Autoridades prenderam 109 pessoas acusadas de agredir um grupo que se manifestava contra o Islã

Muçulmanos salafistas ultraconservadores se voltaram contra policiais que escoltavam manifestantes anti-islâmicos na cidade alemã de Bonn, ferindo 29 oficiais, dois deles gravemente, disse a polícia neste domingo.

EFE
Homem de grupo salafista distribui cópias gratuitas do Alcorão nas ruas de Hannover, Alemanha (14/4)
Autoridades prenderam 109 pessoas, entre elas um homem de 25 anos suspeito de esfaquear dois policiais, após confrontos no sábado entre manifestantes com cartazes que mostravam caricaturas do profeta Maomé e um grande grupo de salafistas.

A imprensa local noticiou que entre 500 e 600 salafistas confrontaram 30 manifestantes contra o Islã.

Os salafistas distribuíram milhares de exemplares do Alcorão traduzidos para o alemão a não-muçulmanos nas últimas semanas o que provocou um carregado debate na Alemanha.

O ministro do Interior da Renânia do Norte-Vestfália, se comprometeu a identificar todos os agressores ou religiosos preparados para usar a violência, para que autoridades possa tomar medidas mais rápidas no futuro.

Quatro milhões de muçulmanos vivem na Alemanha, cerca de metade dos quais possui cidadania alemã.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.