Policiais reagem com cassetetes e bombas de gás e detêm dezenas inclusive líderes da oposição

A polícia russa reprimiu neste domingo uma manifestação em Moscou contra o retorno à presidência de Vladimir Putin, que inicia na segunda-feira seu terceiro mandato. Agentes antidistúrbios intervieram com cassetetes e detiveram a dezenas de manifestantes, entre os quais estava o blogueiro anticorrupção Alexei Navalny, o liberal Boris Nemtsov e o líder da Frente de Esquerda Serguei Udaltsov.

Policiais impediram manifestantes de passar por ponte e detiveram centenas em Moscou(6/5)
AP
Policiais impediram manifestantes de passar por ponte e detiveram centenas em Moscou(6/5)

Segundo os organizadores, dezenas de milhares de pessoas participaram da manifestação. Para a polícia, os participantes eram 8.000. Cerca de 250 pessoas foram presas. Policiais impediam os manifestantes de cruzar uma ponte, quando se iniciaram os choques.

Udaltsov foi detido enquanto discursava. "Não iremos até que libertem nossos companheiros", dizia ele através de um megafone, enquanto os manifestantes diziam em coro: "O poder somos nós". A polícia levou Udaltsov em meio aos protestos dos manifestantes.

Em Vladivostok, manifestantes russos carregaram um caixão preto com a palavra "democracia".

O homem forte da Rússia, Vladimir Putin, volta ao Kremlin na segunda-feira para iniciar um terceiro mandato presidencial, após um movimento de protestos sem precedentes desde sua chegada ao poder, em 2000. Putin foi eleito no dia 4 de março com cerca de 64% dos votos, após uma eleição severamente criticada pela oposição, que aponta fraudes na apuração.

Manifestantes simbolizam enterro da democracia na Rússia (6/5)
Reuters
Manifestantes simbolizam enterro da democracia na Rússia (6/5)

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.