Biografia revela início de vida amorosa de Obama

Duas namoradas da época em que presidente vivia em Nova York compartilharam cartas e diários com jornalista do Washington Post

iG São Paulo |

Arquivo de família
Genevieve Cook, uma das namoradas de Obama em Nova York, em 1985
Antes de estudar Direito, da política e da Casa Branca, e muito antes de conhecer Michelle, Barack Obama era um típico estudante universitário introvertido na casa dos 20 anos: autocentrado, contido, em busca de si mesmo, distante emocionalmente e propenso à prosa exagerada.

O perfil da juventude do atual presidente americano faz parte de um trecho do livro "Barack Obama: a História", do jornalista do Washington Post David Maraniss, publicado pela Vanity Fair em seu site. Durante a apuração do livro, que será publicado em 19 de junho, Maraniss conseguiu encontrar as ex-namoradas de Obama e elas lhe entregaram cartas e diários que oferecem um testemunho daquela época.

A primeira pessoa por quem Obama se encantou foi a inteligente Alex McNear, uma garota literária que ele conheceu no Occidental College antes de se transferir para Columbia, em Nova York. Os dois se reencontraram quando ela foi para Nova York em 1982 e tiveram um daqueles romances de verão com longas conversas em um restaurante escuro.

O relacionamento de longa data uma hora acabou, mas primeiramente eles trocaram cartas apaixonadas cheias de referências à literatura. “Eliot contém a mesma visão extática que vai de Münzer a Yeats", escreveu Obama para ela. “Você parece surpresa com a ambivalência irreconciliável em Eliot; mas você também não compartilha dessa ambivalência, Alex?”

O primeiro namoro sério de Obama, porém, começou no ano seguinte, quando aos 22 anos se apaixonou por uma mulher mais velha durante uma festa de Natal em East Village: Genevieve Cook, 25, uma professora australiana do ensino fundamental. Dias depois Obama fez o jantar para ela, que passou a noite com ele. “Tudo pareceu inevitável", ela disse a Maraniss.

Os dois iniciaram rapidamente a relação, conta o jornalista: "Ela tinha um diário, como ele, e via a si mesma como uma observadora, como ele, e meditava sobre sua identidade, assim como ele, e tinha uma mãe enérgica, independente e algumas vezes exasperante, como ele, e tinha muito idealismo de corrigir os erros do mundo, assim como ele."

Durante seu romance de 18 meses, Genevieve registrou seus pensamentos sobre seu namorado:

- “A excitação sexual está definitivamente ali - mas o resto é indefinido. Apesar de suas palavras doces e de ele poder ser aberto e confiável, também há uma frieza - e começo a suspeitar de algumas coisas sobre ele que podem me incomodar."

- “Barack - ainda me intriga, mas há também alguma coisa abaixo da superfície, fora do alcance. Guardada, controlada."

O jovem casal passava bastante tempo cozinhando e conversavam sobre livros que tinham lido. Mas era um namoro assimétrico: "Quando ela lhe disse que o amava, sua resposta não foi 'também te amo', mas 'obrigado'."

Em maio de 1985, a relação acabou. Maraniss diz que Genevieve não foi o último relacionamento sério de Obama antes de conhecer Michelle, 1989 - mas não revela mais detalhes.

*Com informações do jornal Washington Post

    Leia tudo sobre: obamaeuaeleição nos euamichelle obamaAlex McNearGenevieve Cook

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG