Em debate tenso, Sarkozy não consegue reverter vantagem de Hollande

Imprensa francesa diz que presidente não conseguiu desestabilizar o rival, que continua favorito para vencer eleição de domingo

iG São Paulo |

O presidente da França, Nicolas Sarkozy, não conseguiu usar o debate televisivo da noite de quarta-feira para reverter a vantagem do rival, François Hollande , de acordo com a imprensa francesa, que ainda considera o socialista favorito para vencer o segundo turno no domingo. Para os principais jornais do país, Hollande, que tem estilo menos agressivo que o de Sarkozy, mostrou-se surpreendentemente resistente durante os duros combates verbais entre os dois.

Leia também: Sarkozy recebeu dinheiro de Kadafi, diz ex-premiê líbio

AP
Imagens de TV mostram o presidente da França, Nicolas Sarkozy, durante debate com o rival, François Hollande (02/05)

Um editorial do Le Monde disse que houve “empate” no debate, o que significa que Sarkozy “não conseguiu atingir seu objetivo de desestabilizar” o rival. O Liberatión considerou que Hollande se saiu melhor e que o atual presidente pareceu estar “sempre atrás de briga”, enquanto o Le Nouvel Observateur disse que o candidato socialista “dominou o duelo televisivo no qual Sarkozy pareceu sentir o peso de seu legado”.

O Le Figaro foi o único a dizer que Sarkozy ainda pode ganhar no domingo, por ter se mostrado  “moderno” em contraste à “antiquada linguagem” da esquerda usada por Hollande. “Essa diferença ainda dá esperança ao presidente”, considerou o jornal.

Nas ruas de Paris, muitos comentavam o debate de quase três horas que foi assistido por 19,5 milhões de pessoas, ou cerca de um terço da população da França. As opiniões eram variadas.

“Para mim, Sarkozy venceu”, disse o aposentado Alfred Tiano. “Ele foi claro e mostrou que seu rival tem ideias, mas elas não estão de acordo com a realidade.” Joanna Daniel, uma alemã que vive na França há décadas, disse que “Hollande se defendeu tão bem a ponto de vencer o debate”.

O debate de quarta-feira foi o único encontro cara a cara entre os dois candidatos desde o início da campanha. Em clima tenso, Sarkozy e Hollande discutiram principalmente questões internas como economia, imigração e a integração dos muçulmanos franceses.

A discussão acalorada refletiu a intensidade da competição, especialmente para Sarkozy, um bom orador que via no debate a última chance de atrair eleitores . Em várias ocasiões, o presidente acusou seu rival de mentir.

"É mentira! É mentira!", repetiu Sarkozy durante uma troca de acusações sobre políticas econômicas. O candidato socialista também negou várias vezes algumas das afirmações de Sarkozy, insistindo: "Eu nunca disse isso."

AP
Debate televisionado foi primeiro encontro cara a cara entre Sarkozy e o rival Hollande

Sarkozy chamou seu adversário de "pequeno caluniador", ao ser acusado de ter nomeado amigos para ministérios e demais órgãos públicos. "Você nomeou amigos por toda parte", acusou Hollande. Sarkozy logo respondeu: "Isso é uma mentira, uma calúnia. Você é um pequeno caluniador ao dizer isso".

As poucas intervenções dos mediadores do debate - Laurence Ferrari, da TF1, e David Pujadas, da France 2 - para conter a troca de acusações virou alvo de piada nas redes sociais.

Pelo Twitter, internautas divulgaram fotos dos dois em cartazes de “pessoas desaparecidas”. Outra paródia mostrou os apresentadores como os protagonistas do filme vencedor do Oscar “O Artista”, que é mudo.

Com AP e BBC

    Leia tudo sobre: eleição na françadebatesarkozyhollandefrança

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG