Carta sobre ajuda de Kadafi a Sarkozy é falsa, diz Líbia

Segundo Conselho Nacional de Transição, não foi encontrada nos arquivos do país referência ao documento publicado em site

iG São Paulo |

Uma carta dizendo que o governo de Muamar Kadafi aceitava financiar a campanha eleitoral de Nicolas Sarkozy em 2007 é falsa, disse nesta quarta-feira o CNT (Conselho Nacional de Transição) da Líbia.

Campanha: Sarkozy processará site por denúncia envolvendo Kadafi

“Depois que os meios de comunicação informaram sobre esta carta, vimos o documento e verificamos que não encontramos nenhuma referência a essa carta nos arquivos da Líbia", disse Mustafa Abdel Jalil, presidente do CNT.

AP
Hollande (E) e Sarkozy (D) se enfrentaram pela primeira vez cara a cara no debate desta quarta-feira
Ele acrescentou que a saudação na carta era incomum no regime anterior.

Em outra entrevista coletiva, o porta-voz do governo Líbio, Nasser El Manee, disse que não há "nenhuma informação oficial sobre dinheiro que tenha sido tranferido para apoiar Sarkozy em sua campanha eleitoral".

Na segunda-feira, Sarkozy disse que irá processar o site Mediapart por publicar documentos em que alegava ter provas de que o governo de Kadafi teria financiado a campanha presidencial de 2007.

"Iremos apresentar uma queixa contra a Mediapart," disse Sarkozy à rede de TV France 2. "Vocês realmente acham que, considerando tudo o que fiz a ele, o senhor Kadafi teria feito uma transferência bancária para mim? Por que não um cheque nominal? É grotesco".

A carta, supostamente de 2006, diz que o serviço secreto líbio iria ajudar a financiar a campanha eleitoral de Sarkozy com um aporte de 50 milhões de euros.

Debate: Sarkozy e Hollande trocam acusações em debate na TV

Sarkozy, que conheceu Kadafi em Paris em 2007, foi um dos maiores apoiadores dos ataques aéreos contra o governo líbio durante o levante de 2011. Aviões de guerra franceses foram os primeiros a bombardear as tropas leais ao líder na campanha conduzida pela Otan, que resultou na deposição emorte de Kadafi.

Decisão eleitoral

A alegação é feita em momento decisivo para a campanha de reeleição de Sarkozy, que se prepara para enfrentar o socialista François Hollande nas urnas, no segundo turno das eleições presidenciais domingo.

Uma pesquisa da Ipsos-Logica desta segunda-feira mostrou Hollande na frente com 53% dos votos 47% de Sarkozy.

Leia também: Documentos dizem que Kadafi financiou campanha de Sarkozy em 2007

Entrevistado pela rádio Europe 1, Hollande não comentou diretamente o documento sobre Kadafi, mas abordou acusações de Sarkozy e de outros de que a Mediapart é uma "célula esquerdista" cujo único objetivo é atrapalhar o presidente.

"Este site já atacou personalidades de esquerda, tem uma equipe de jornalistas bem conhecidos", disse Hollande. "O sistema de justiça deve avaliar isso. Se for uma farsa, o site será condenado".

*Com Reuters

    Leia tudo sobre: françasarkozykadafilíbiaeleição na frança

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG