Presidente americano vai assinar um novo acordo de cooperação com as autoridades afegãs

Presidente Barack Obama é recebido pelo Lt. Gen. Curtis
AP
Presidente Barack Obama é recebido pelo Lt. Gen. Curtis "Mike" Scaparrotti, e pelo embaixador americano no Afeganistão Ryan Crocker
O presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, aterrissou nesta terça-feira (1) no Afeganistão em uma visita surpresa durante a qual assinará um novo acordo acordo traçando as futuras relações com as autoridades afegãs. A visita, que deve durar cerca de sete horas, visita ocorre um dia antes do aniversário do anúncio da morte de Osama Bin Laden.

Obama vai se encontrar com o presidente afegão Hamid Karzai para assinar um acordo sobre a atuação dos Estados Unidos no Afeganistão depois que a missão americana terminar em 2014. O acordo de Parceria Estratégica EUA-Afeganistão irá criar condições para uma presença americana no país depois deste prazo estipulado para a retirada das forças de combate da Otan.

Leia mais:
Entenda por que o Afeganistão é estratégico
Após dez anos da Guerra do Afeganistão, EUA buscam saída honrosa

O presidente americano também planeja fazer um discurso televisionado e destinado ao povo americano, marcado para as 22h30 (horário de Brasília). O discurso de Obama será sobre o acordo de parceria estratégica e deve pôr ênfase em seus planos de encerrar a cara e impopular guerra no Afeganistão, onde cerca de 3 mil soldados dos EUA e da Otan morreram desde que o país foi invadido em 2001.

Saiba mais: Saiba as consequências do 11 de Setembro para o terrorismo

Depois de um aumento das tropas dos EUA que Obama ordenou no final de 2009, as forças americanas e da Otan conseguiram enfraquecer os militantes do Taleban, mas o movimento está longe de ser derrotado.

Reeleição
Enquanto luta por sua reeleição, Obama quer retomar o sucesso recorde da política externa do seu governo.

Sua campanha eleitoral fez da morte de Bin Laden, no Paquistão, uma parte fundamental do argumento, e a visita do presidente ao país, onde militantes iniciaram os ataques de 11 de setembro de 2001, irá reforçar essa mensagem.

Os republicanos têm criticado essa postura e dizem que Obama tem politizado a morte de Bin Laden.

Depois de deixar Washington na noite de segunda-feira e voar durante a noite, Obama chegou à Base Aérea de Bagram, antes de visitar Cabul.

A Casa Branca quer pintar estratégia de Obama no Afeganistão como bem sucedida, apesar da violência continuar lá e problemas com a corrupção que levantaram preocupações sobre a estabilidade futura do país.

O republicano Mitt Romney, adversário provável de Obama na eleição de novembro, criticou a movimentação do presidente no Afeganistão, dizendo que o cronograma para a retirada só vai encorajar os militantes e que poderia deixar o país vulnerável a um retorno ao poder do Taleban, que governou o Afeganistão antes da invasão liderada pelos EUA

(Com informações da Reuters e da AP)

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.