Sarkozy processará site por denúncia envolvendo Kadafi

Presidente francês chama de 'grotesca' alegação de que ex-líder líbio teria financiado sua campanha de 2007

iG São Paulo |

AP
Ao lado da mulher, Carla Bruni, Sarkozy faz campanha em Toulouse (29/04)
O presidente da França, Nicolas Sarkozy, disse nesta segunda-feira que irá processar o site de notícias Mediapart por publicar um documento que diz comprovar que o ex-líder líbio Muamar Kadafi doou fundos para sua campanha de 2007.

"Iremos apresentar uma queixa contra a Mediapart," disse Sarkozy à rede de TV France 2. "Vocês realmente acham que, considerando tudo o que fiz a ele, o senhor Kadafi teria feito uma transferência bancária para mim? Por que não um cheque nominal? É grotesco".

Leia também: Documentos dizem que Kadafi financiou campanha de Sarkozy em 2007

Sarkozy, que conheceu Kadafi em Paris em 2007, foi um dos maiores apoiadores dos ataques aéreos contra o governo líbio durante o levante de 2011. Aviões de guerra franceses foram os primeiros a bombardear as tropas leais ao líder na campanha conduzida pela Otan, que resultou na deposição e morte de Kadafi .

O site publicou uma carta de 2006, supostamente do ex-serviço secreto da Líbia, que discute "um acordo de princípio" para doar 50 milhões de euros à campanha presidencial de Sarkozy.

O presidente francês não disse sob que fundamentos legais irá processar site, mas qualificou o documento de "falsificação óbvia", afirmando que as duas pessoas na Líbia que teriam enviado e recebido a carta negaram envolvimento.

O empresário franco-libanês Ziad Takieddine, um dos homens que a Mediapart diz ter estado presente no acordo, disse ao jornal esquerdista Libération, em entrevista publicada nesta segunda-feira, que não estava lá quando o documento foi assinado, mas o chamou de “crível”.

A alegação é feita em momento decisivo para a campanha de reeleição de Sarkozy , que se prepara para enfrentar o socialista François Hollande em um debate na TV que atrairá milhões de telespectadores na quarta-feira.

Uma pesquisa da Ipsos-Logica desta segunda-feira mostrou Hollande na frente com 53% dos votos 47% de Sarkozy.

Entrevistado pela rádio Europe 1, Hollande não comentou diretamente o documento sobre Kadafi, mas abordou acusações de Sarkozy e de outros de que a Mediapart é uma "célula esquerdista" cujo único objetivo é atrapalhar o presidente.

"Este site já atacou personalidades de esquerda, tem uma equipe de jornalistas bem conhecidos", disse Hollande. "O sistema de justiça deve avaliar isso. Se for uma farsa, o site será condenado".

Com Reuters

    Leia tudo sobre: françasarkozykadafilíbiaeleição na frança

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG