Serviço Secreto dos EUA muda regras após escândalo na Colômbia

Agentes não podem beber em excesso, levar estrangeiros para quarto de hotel e visitar 'estabelecimentos não conceituados'

iG São Paulo |

O Serviço Secreto dos Estados Unidos proibiu que seus agentes consumam bebidas alcoólicas em excesso e levem estrangeiros para seus quartos de hotel durante viagens ao exterior, após o escândalo sexual envolvendo agentes americanos e prostitutas de Cartagena, na Colômbia.

As novas regras de conduta divulgadas nesta sexta-feira também proíbem visitas a "estabelecimentos não conceituados", presumivelmente clubes de striptease, e dizem que agentes devem obedecer as leis americanas mesmo quando estiverem no exterior.

Leia também: Investigação detalha escândalo com agentes dos EUA na Colômbia

AP
Pessoas passam na frente do Hotel El Caribe em Cartagena, Colômbia, onde agentes do Serviço Secreto e militares dos EUA teriam mantido relações com prostitutas (14/4)

O anúncio das novas regras acontece duas semanas depois de agentes secretos e militares terem levado prostitutas para seus quartos de hotel durante uma noite de bebedeira e farra em Cartagena, pouco antes da chegada do presidente americano, Barack Obama, para uma reunião da Cúpula das Américas.

Nesta semana, o Serviço Secreto começou a investigar as alegações de um caso semelhante de mau comportamento antes de uma viagem presidencial a El Salvador em 2011.

Com o anúncio dessa sexta-feira, a agência tenta encerrar um capítulo de seu pior caso de suposto mau comportamento em décadas, que constrangeu os Estados Unidos e ofuscou a participação de Obama na cúpula.

Na terça-feira, Obama descreveu o escândalo como mau comportamento de "alguns idiotas" e disse que a maioria dos agentes faz seu trabalho de forma admirável.

"Esses rapazes são incríveis. Eles me protegem, protegem a Michelle, eles protegem nossas filhas, nossos oficiais em todo o mundo", disse Obama durante a gravação para o programa da NBC "Late Night with Jimmy Fallon" na Carolina do Norte. "Alguns idiotas não devem diminuir o que eles fazem", disse Obama.

Com Reuters

    Leia tudo sobre: cartagenacolômbiaescândalo sexualeuaobamaserviço secreto

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG