Medvedev aceita proposta de Putin para chefiar o governista Rússia Unida

Além de liderar partido, atual presidente russo deverá ser aprovado ao cargo de primeiro-ministro pela Câmara em 8 de maio

iG São Paulo |

O presidente em fim de mandato e futuro primeiro-ministro da Rússia, Dmitri Medvedev, aceitou nesta sexta-feira a proposta de liderar o partido Rússia Unida em substituição a seu atual líder, Vladimir Putin .

Política: Opositores ocupam Praça Vermelha em protesto contra Putin

"Agradeço sua proposta e aceito-a oficialmente", disse o mandatário russo durante uma reunião com dirigentes da formação governista, em declaração citada pelas agências russas.

AP
Dmitri Medvedev fala a membros do Rússia Unida em encontro do partido governista nos arredores de Moscou
Segundo Medvedev, trata-se de uma grande responsabilidade, que demonstra confiança de Putin. Ele agradeceu também tanto a posição dentro do partido quanto o cargo de primeiro-ministro, atualmente ocupado por Putin, que tomará posse como presidente no dia 7 de maio.

Medvedev, que será apresentado por Putin como candidato ao cargo de primeiro-ministro à Câmara dos Deputados, assumirá a direção do Rússia Unida em um congresso federal realizado em 26 de maio.

Antecipação

Putin havia antecipado na terça-feira que indicaria Medvedev como primeiro-ministro e líder do partido. "Como os senhores sabem, vou apresentar sua (Medvedev) candidatura para primeiro-ministro, por isso considero que seria correto que ele liderasse o partido", disse em reunião com dirigentes do Rússia Unida.

Putin lembrou que Medvedev já liderou a legenda durante as eleições parlamentares de dezembro do ano passado. O futuro presidente russo lembrou também que "a Constituição não proíbe que o presidente seja membro de um partido (...), mas essa é uma figura aglutinadora para todas as formações políticas e todos os cidadãos do país".

Putin assumiu a liderança do partido em maio de 2008 após ser sucedido na presidência por Medvedev. No congresso federal do RU em setembro de 2011, Medvedev e Putin anunciaram seus planos de trocar de postos após as eleições legislativas e as presidenciais de março, o que foi muito criticado pela oposição.

A expectativa é de no dia 8 de maio, a Duma (Câmara Baixa do Parlamento) vote a candidatura de Medvedev, que foi muito criticado por descumprir suas promessas de luta contra a corrupção e liberalização do sistema político.

Votação: Observadores denunciam irregularidades eleitorais

Segundo a Constituição reformada, o mandato presidencial na Rússia é de seis anos, o que faz Putin ser chefe do Kremlin até 2018. Já o termo parlamentar tem cinco anos, o que supõe que Medvedev chefie o governo até 2017.

*Com EFE

    Leia tudo sobre: rússiaeleição na rússiaputinmedvedevrússia unida

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG