Ativista cego diz ter escapado de prisão domiciliar na China

Em mensagem de vídeo para premiê, Chen Guangcheng anuncia fuga e diz temer 'vingança violenta' contra sua família

iG São Paulo |

O advogado cego Chen Guangcheng , um dos ativistas pró-direitos humanos mais conhecido da China, disse ter fugido nesta sexta-feira de sua casa, onde estava sob prisão domiciliar há um ano e meio. “Estou livre, mas minhas preocupações não acabaram”, disse Chen em um vídeo publicado na internet e endereçado ao premiê Wen Jiabao. “Minha fuga pode provocar uma vingança violenta contra a minha família.”

De acordo com ativistas, o vídeo foi gravado nesta semana e enviado para um site chinês com base no exterior, o Boxun, que depois publicou trechos no YouTube. As imagens não puderam ser verificadas de forma independente. Bob Fu, um ativista chinês que vive no Texas, nos EUA, disse que Chen fugiu no dia 22 e está em um local “100% seguro”. Há rumores de que ele foi levado de carro para Pequim.

Leia também: Ativista chinês diz em vídeo estar sob prisão domiciliar

AP
Imagem de vídeo postado nesta sexta-feira no YouTube mostra Chen Guangcheng dizendo ter escapado de prisão domiciliar

Chen, que ficou cego em consequência de uma doença quando era criança, é advogado autodidata e denunciou várias práticas abusivas ligadas à política de filho único na China, como a esterilização de pelo menos sete mil mulheres e abortos forçados. Em 2006, a revista americana Time o incluiu na lista das 100 personalidades mais influentes do mundo.

Condenado há mais de quatro anos de prisão, desde setembro de 2010 ele estava sob prisão domiciliar em Dongshigu. Todos que tentaram uma aproximação com Cheng Guangcheng desde 2010, incluindo o ator americano Christian Bale, foram obrigados a desistir e, em alguns casos, foram agredidos pelos oficiais que vigiavam a casa.

Bob Fu afirmou que está em contato com a embaixada dos Estados Unidos na China, com o Departamento de Estado e o Congresso "para alertar e pedir ajuda para Chen Guangcheng e aqueles que o ajudam e escondem".

De acordo com o ativista, durante a prisão domiciliar, Chen expressou dúvidas sobre o exílio. "Ele disse que queria lutar até o fim na China pelos direitos dos cidadãos. Queria poder levar uma vida normal de cidadão chinês", disse Bob Fu.

Na mensagem, de 15 minutos, Chen, com a voz emocionada, pede ao chefe de governo chinês que sua família não sofra represálias e denuncia vários funcionários do governo que o maltrataram, assim como a sua mulher e seu filho.

O advogado faz três pedidos a Wen Jiabao: "Que os criminosos sejam severamente punidos, de acordo com a lei, que a segurança da minha família seja garantida, que a corrupção seja castigada".

A casa de Chen, onde permanecem sua mulher, mãe e filha, continuava sob forte vigilância nesta sexta-feira, assim como a residência do irmão mais velho do advogado, Chen Guangfu. Este último e o sobrinho de Chen, Chen Kegui, foram agredidos e detidos nesta sexta-feira, segundo Bob Fu.

A mulher que ajudou Chen Guangcheng na fuga também foi detida nesta sexta-feira, em Nankin (leste), segundo o ativista.

A fuga de Guangcheng e sua mensagem representam um constrangimento para o governo de Wen Jiabao, que está em viagem na Europa e deve receber na próxima semana a secretária de Estado americana Hillary Clinton, que já mencionou o caso várias vezes e pediu sua libertação.

Com AP e AFP

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG