Obama chama agentes dos EUA envolvidos em escândalo de 'idiotas'

Presidente defende Serviço Secreto, indicando que agentes envolvidos com prostitutas em Cartagena são minoria na corporação

iG São Paulo |

O presidente americano, Barack Obama, descreveu nesta terça-feira um escândalo do Serviço Secreto dos Estados Unidos envolvendo prostitutas na Colômbia como mau comportamento de "alguns idiotas" e disse que a maioria dos agentes faz seu trabalho de forma admirável.

Cartagena: Acompanhante de luxo faz revelações sobre conduta de agente secreto dos EUA

AP
Presidente dos EUA, Barack Obama, é visto ao lado de Jimmy Fallon durante gravação de programa de TV na Carolina do Norte
Revelação: Agentes dos EUA levaram ao menos 20 prostitutas a hotel, diz senadora

"Esses rapazes são incríveis. Eles me protegem, protegem a Michelle, eles protegem nossas filhas, nossos oficiais em todo o mundo", disse Obama durante a gravação para o programa da NBC "Late Night with Jimmy Fallon" na Carolina do Norte. "Alguns idiotas não devem diminuir o que eles fazem", disse Obama.

Membros do Serviço Secreto dos EUA supostamente levaram prostitutas para um hotel em Cartagena, Colômbia, onde estavam para verificar os riscos de segurança antes de Obama chegar à cidade para participar da Cúpula das Américas . De acordo com a agência, descobriu-se até agora que 12 de seus membros estão implicados no caso.

Além dos membros do Serviço Secreto, outros 12 militares que trabalhavam em conjunto com os agentes estão envolvidos no caso. Seis agentes foram dispensados por causa do incidente. Ao menos 20 prostitutas tiveram envolvimento com o grupo, disseram autoridades. Acredita-se que nenhuma delas era menor.

As declarações desta terça-feira não foram as primeiras feitas por Obama sobre o escândalo. Pouco depois de a história vir à tona, o presidente americano disse que ficaria "bravo" se as alegações fossem verdadeiras.

"Se forem comprovadas as alegações feitas na imprensa, obviamente ficarei bravo", disse. "Representamos a população dos EUA e, quando viajamos a outro país, espero que observemos os padrões mais altos (de conduta)."

Informações sobre o incidente surgiram depois que uma das prostitutas discutiu com um agente do Serviço Secreto sobre seu pagamento em um corredor do Hotel Caribe. Um policial interveio para ajudá-la. A prostituição é legal em Cartagena, mas viola códigos de conduta de oficiais americanos que trabalham na cidade.

O diretor do Serviço Secreto americano, Mark Sullivan, lançou uma investigação e pediu um inquérito separado pelo inspetor-geral do Departamento de Segurança Interna.

*Com Reuters e AP

    Leia tudo sobre: euaagenteserviço secretoobamaprostituiçãocartagena

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG