Em vídeo, Chávez afirma perdoar quem deseja sua morte

Em Cuba para radioterapia, líder diz que voltará brevemente à Venezuela na quinta-feira para depois retomar tratamento em Havana

EFE |

O presidente venezuelano, Hugo Chávez, disse em vídeo divulgado nesta terça-feira que perdoa aqueles que desejam sua morte e reiterou sua fé em Deus para superar o câncer.

Em tratamento: Chávez quebra silêncio de oito dias e desmente rumores sobre saúde

AP
Foto divulgada pela presidência mostra presidente da Venezuela, Hugo Chávez, beijando crucifixo ao lado de sua filha Rosa em Havana, Cuba (23/4)
"Aqueles que têm maus desejos para comigo eu perdoo; tenho uma grande fé no que estamos fazendo, nesse trabalho intenso contra a doença que me atacou no ano passado , para viver, continuar vivendo e a cada dia mais dar essa vida a um povo, a uma revolução", disse no vídeo, transmitido em rede de rádio e televisão.

As novas imagens foram gravadas na segunda-feira em Cuba, onde o presidente se encontra desde 14 de abril para se submeter a um tratamento de radioterapia . Com o vídeo, Chávez deu uma resposta a rumores sobre uma suposta piora em sua saúde.

Nas declarações divulgadas nesta terça-feira, Chávez afirma ter uma espécie de pacto com Deus para que seu tratamento tenha êxito e possa "continuar redobrando a marcha". Durante sua breve mensagem, o governante venezuelano leu títulos da edição da segunda-feira de alguns jornais de seu país e conversou com seu chanceler, Nicolás Maduro, e seu irmão Adán, governador do Estado de Barinas, no leste venezuelano.

Nas imagens também estão sua filha Rosa e um de seus netos, e Chávez aparece vestido com roupa esportiva e movimentando-se com desembaraço. No vídeo, o presidente venezuelano comentou uma enquete que o situa com 19 pontos porcentuais de vantagem sobre o candidato da oposição , Henrique Capriles , para as eleições presidenciais de 7 de outubro. "Continuaremos consolidando essa diferença", disse.

Ele também aproveitou para criticar declarações que o presidente dos EUA, Barack Obama, fez antes de viajar à Colômbia para a Cúpula das Américas há duas semanas, nas quais reivindicou "eleições livres" na Venezuela.

"Não há neste planeta um sistema eleitoral tão transparente, eficaz e tão bom quanto o venezuelano, em contraste, nos EUA existem votações por meio de delegados ", disse. "Esperamos eleições transparentes nos EUA, onde as pessoas deveriam votar, lá votam delegados. Democratizem esse país, deixem a repressão!", disse, deixando um recado ao presidente americano: "Obama, encarregue-se de governar seu país."

Após um silêncio de nove dias, Chávez disse por telefone que estará em Caracas na quinta-feira e posteriormente voltará a se submeter a mais uma sessão de radioterapia. Ele também fez referência às versões que circulam pelas redes sociais sobre uma suposta piora em sua saúde, incluindo rumores sobre sua morte.

Leia também: Longas filas e prateleiras vazias refletem escassez de alimentos na Venezuela

"Infelizmente parece que teremos de nos acostumar, principalmente nos próximos meses, a viver sob rumores, porque isso é parte dos laboratórios de guerra psicológica, laboratórios de guerra suja que são ativados dia e noite em diferentes partes do continente, e certamente em Caracas."

O governo venezuelano divulgou na noite de segunda-feira fotografias do presidente com seus parentes e colaboradores em Havana. Chávez passou por uma cirurgia em 26 de fevereiro por um tumor cancerígeno, recorrência do câncer pelo qual foi operado em junho de 2011.

    Leia tudo sobre: chávezeleição na venezuelavenezuelacaprilescuba

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG