Secretário de Defesa dos EUA confirma acordo estratégico com Afeganistão

Esboço promete auxílio americano a país asiático durante dez anos depois da retiradas de tropas da Otan, em 2014

iG São Paulo |

Os EUA chegaram ao esboço de um acordo militar estratégico com o Afeganistão, disse nesta segunda-feira o secretário de Defesa americano, Leon Panetta, que o classificou de um "passo significativo" entre ambos os países após mais de uma década de guerra .

Reuters
Bombeiro joga água em tanque de combustível em chamas em Cabul, Afeganistão. A causa do incêndio é desconhecida
Leia também: Taleban suspende negociações de paz com os EUA

Depois de meses de negociações, o esboço promete auxílio americano ao Afeganistão durante dez anos depois da retirada das tropas da Otan (Organização do Tratado do Atlântico Norte) do país asiático, em 2014.

"Chegamos a um acordo sobre uma aliança estratégica, mas não entrarei em detalhes, porque deve ser revisado pelos respectivos governos", declarou Panetta a bordo do avião que o transportava a Bogotá, no início de um giro pela América Latina, que também incluirá o Brasil e o Chile.

"Acredito que é justo dizer que representa um passo significativo na relação (entre Washington e Cabul) e deixa claro que os EUA estão comprometidos a manter uma presença duradoura no Afeganistão" até que esse país possa garantir sua própria segurança, acrescentou.

Esse acordo, no entanto, ainda não estabelece um número definitivo de soldados que deverá permanecer no Afeganistão após o fim de 2014, a data que o presidente Barack Obama determinou para finalizar as operações militares no país asiático.

O número final de tropas que ficará após 2014 "deve ser fixado com nossos sócios da Aliança Atlântica e com o governo afegão" durante a próxima cúpula da Otan em Chicago, em 20 e 21 de maio, disse Panetta. "Suspeito que (o debate) continuará para além de Chicago", considerou o secretário de Defesa.

De acordo com o cronograma , os EUA ficarão com um contingente de 68 mil efetivos no Afeganistão no fim desse verão (no Hemisfério Norte).

Pendente ainda de sua aprovação legislativa e presidencial, o escoço do acordo foi anunciado na noite de domingo pelo conselheiro de segurança afegão, Rangin Dadfar Spanta, e pelo embaixador dos EUA no Afeganistão, Ryan Crocker.

"O documento proporciona uma base sólida para a segurança do Afeganistão, a região e o mundo", afirmou Spanta em cerimônia realizada na sede do Conselho de Segurança Nacional de Cabul, de acordo com um comunicado presidencial afegão.

"Participei de muitas negociações internacionais e ninguém foi um negociador mais duro que vocês, a equipe afegã", afirmou durante a apresentação o embaixador Crocker.

*Com AFP, EFE e New York Times

    Leia tudo sobre: afeganistãoeuatalebankarzaiobama

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG