EUA e Afeganistão finalizam acordo de parceria estratégica

Documento, que trata sobre a relação entre os dois países após a retirada das tropas, precisa ser revisado pelos presidentes

iG São Paulo |

Os Estados Unidos e o Afeganistão finalizaram um acordo de parceria sobre o papel americano no país após a retirada das tropas, programada para ocorrer em 2014. O projeto do acordo estratégico de longo prazo foi assinado na capital afegã, Cabul, depois de meses de diálogos entre os dois países.

Análise: Entenda por que o Afeganistão é estratégico
Defesa: Orçamento de forças afegãs deve sofrer corte após 2014

AP
Membros das forças de segurança do Afeganistão seguem em direção ao confronto com os talebans, em Cabul, no dia 15 de abril

Nenhum detalhe foi anunciado neste domingo, uma vez que o acordo será revisado pelos dois presidentes. Há muita controversa sobre o tema, especialmente sobre de quanto seria o apoio financeiro provido pelos EUA e pela Otan (Organização do Tratado do Atlântico Norte) no Afeganistão após a retirada total das tropas.

A força da Otan, constituída por 130 mil homens e que invadiu o Afeganistão há dez anos cpara derrotar os militantes do Taleban finalizará as operações e vai se retirar até o final de 2014

Na semana passada, o presidente Hamid Karzai pediu aos EUA que fizessem um compromisso por escrito para pagar um mínimo de US$ 2 bilhões para a manutenção das forças afegãs.

Leia também: Novos ataques no Afeganistão revelam evolução da rede Haqqani

Na reunião dos representantes da Otan na semana passada, os EUA pediram a outras nações que pagassem cerca de US$ 1 bilhão por ano, enquanto o país iria prover US$ 3 bilhões por ano em ajuda. Mas não ficou claro se os EUA pretendiam assinar um compromisso por escrito.

O acordo foi assinado no domingo em Cabul pelo embaixador Ryan Crocker e pelo assessor nacional de segurança Rangin Dadfar Spanta. "O documento finalizado hoje prevê um sólido apoio para a segurança no Afeganistão, na região e no mundo e é um documento para o desenvolvimetno da região", afirma Spanta no comunicado que anuncia o acordo.

A capacidade do Afeganistão de conseguir controlar suas tropas após a retirada das forças da Otan em 2014 sempre foi uma dúvida. Mas durante a reunião na semana passada, a secretária de Estado norte-americana, Hillary Clinton, disse que os ataques coordenados pelo Taleban em Cabul, nos quais dois soldados afegãos e 17 militantes foram mortos , mostram o contrário.

Retirada em 2013: Austrália antecipa retirada de tropas do Afeganistão

"A resposta das forças de segurança afegãs foi rápida e efetiva e os ataques falharam. Então, os afegãos estão provando para si mesmos um crescente preparo para controlar seu próprio futuro."

Com AFP e BBC

    Leia tudo sobre: afeganistãoeuaretiradaacordokarzaiobamacabul

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG