Coreia do Sul manterá ajuda a Pyongyang apesar do lançamento de foguete

Ministro sul-coreano diz que permitirá auxílio de ONGs mesmo após medidas punitivas

EFE |

A Coreia do Sul manterá sua ajuda humanitária à Coreia do Norte apesar da condenação internacional pelo fracassado lançamento do foguete realizado por Pyongyang na última sexta-feira, afirmou hoje o ministro da Unificação sul-coreano, Yu Woo-ik.

Leia também: Coreia do Norte rejeita condenação da ONU sobre foguete

Segundo a agência "Yonhap", Yu assegurou que Seul prosseguirá o envio de assistência destinada às pessoas "vulneráveis" no país vizinho "através de organizações internacionais". Também confirmou que seu país permitirá às ONGs prestarem auxílio à Coreia do Norte independentemente das medidas punitivas que, afirmou, Seul tomará junto com seus aliados e a comunidade internacional.

O ministro sul-coreano anunciou políticas mais rígidas com relação ao regime de Kim Jong-un após sua suposta tentativa de pôr em órbita um satélite mediante um foguete, que, de acordo com Seul, se tratou de um teste balístico encoberto. "Não temos outra opção que suspender os esforços que fizemos até agora para aumentar as medidas flexíveis" voltadas a Pyongyang, sentenciou. Mesmo assim, Yu deixou aberta uma "janela" à Coreia do Norte se o regime comunista abandonar o que tachou de comportamento provocador e eleger um caminho correto e benéfico para seu futuro.

Falha em lançamento: Foguete da Coreia do Norte provoca constrangimento e críticas internacionais

O Conselho de Segurança da ONU condenou na segunda-feira o fracassado lançamento da Coreia do Norte, que, assegurou, viola duas de suas resoluções, e anunciou o endurecimento das sanções que atualmente impõe ao país asiático. Por sua parte, Coreia do Sul, Estados Unidos e outras potências regionais vêm debatendo a forma de castigar a Pyongyang por sua ação.

    Leia tudo sobre: coreia do nortenuclearmíssilcoreia do sul

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG