Ex-combatente pró-independência é eleito presidente em Timor Leste

José María Vasconcelos derrotou Francisco Guterres 'Lu Olo' no segundo turno com mais de 61% dos votos

iG São Paulo |

O ex-combatente pró-independência de Timor Leste José María Vasconcelos venceu as eleições presidenciais realizadas na segunda-feira e terá como desafios adiante promover estabilidade no país mais novo da Ásia que é também um dos mais pobres do continente.

Urnas: Timor Leste vota em eleição para presidente

Vasconcelos, mais conhecido como "Taur Matam Ruak", derrotou Francisco Guterres "Lu Olo" no segundo turno do pleito.

AP
Ex-chefe militar José María Vasconcelos é conhecido também por Taur Matan Ruak (18/3)
O antigo guerrilheiro independentista obteve mais de 61% dos votos contra os 38% conquistados por seu rival, anunciou à televisão local Tomas Cabral, membro da Comissão Eleitoral. Segundo ele, a "soma ainda está sendo atualizada, mas indica que Taur Matan Ruak teve a maioria dos votos".

Vasconcelos, chefe das Forças Armadas até o ano passado, foi investigado pela ONU, que defendeu a instauração de um processo contra ele por armar cidadãos durante os distúrbios de 2006, que terminaram com o desdobramento de tropas das Nações Unidas no país.

O ex-líder guerrilheiro conta com o apoio do atual primeiro-ministro, Xanana Gusmão, e prometeu estabelecer o serviço militar obrigatório para reduzir o desemprego na empobrecida nação.

Ex-colônia

Vasconcelos, 56 anos, e Guterres, 58 anos, foram companheiros na guerrilha contra as tropas indonésias que ocuparam Timor Leste após Portugal se retirar da ex-colônia em 1974.

Portugal se retirou de Timor Leste em 1974, mas no ano seguinte o país foi invadido militarmente pela Indonésia, que o manteve submetido durante 24 anos.

Em 30 de agosto de 1999, os timorenses votaram por sua independência em um plebiscito marcado pela violência e organizado pela ONU, sob um acordo entre Indonésia e Portugal para tentar encerrar um conflituoso capítulo da história timorense.

O Timor Leste obteve a independência total em 20 de maio de 2002, um mês após escolher o seu primeiro presidente, Xanana Gusmão , o popular chefe da resistência contra a ocupação indonésia e atual primeiro-ministro.

A ONU mantém uma missão que inclui 1.397 policiais e militares desde 2006 no país.

O presidente tem um papel reduzido na realização de políticas, mas é crucial para promover estabilidade no país que conseguiu independência da Indonésia em 2002 após anos de lutas sangrentas, e depois foi abalado por confrontos entre facções.

Aproximadamente 73% dos timorenses votaram na segunda-feira. A Alta Corte irá ratificar o resultado depois de uma comissão eleitoral independente checar os dados finais da apuração. O atual presidente , José Ramos-Horta , ficou de fora da disputa logo no primeiro turno , realizado em 17 de março.

As eleições parlamentares estão previstas para 7 de julho.

*Com EFE

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG