Maior parte do contingente será retirada do país em guerra ainda em 2012, um ano antes do previsto pelo calendário da Otan

A Austrália irá retirar neste ano a maior parte de suas tropas no Afeganistão e completará sua saída ao fim de 2013. O saída dos militares australianos ocorre um ano antes do prrevisto no calendário fixado pela Otan (Organização do Tratado do Atlântico Norte).

Leia também: Austrália reafirma compromisso no Afeganistão, apesar de massacre em Kandahar

Militares australianos durante exercício em território afegão (31/7/2002)
Reuters
Militares australianos durante exercício em território afegão (31/7/2002)
A declaração foi feita pela primeira-ministra Julia Gillard, para quem "o compromisso da Austrália com o Afeganistão terá um aspecto diferente ao de hoje". A premiê assinalou que as tropas australianas já não produzem "operações rotineiras de combate com as forças afegãs" e que a província de Uruzgan, na região central da nação asiática e onde há efetivos da Austrália, será uma das últimas áreas a passar ao controle do Exército do Afeganistão

No total, 35 australianos morreram no Afeganistão desde que o governo enviou militares para compor a coalizão ocidental na guerra que teve início há 11 anos. Em várias ocasiões anteriores, o governo australiano havia dito que respeitaria o cronograma de retirado da Otan, que completará a saída das tropas ocidentais no fim de 2013. A missão da Otan reúne 130 mil militares ocidentais. 

Cerca de 1,5 mil militares australianos estão destacados no Afeganistão, onde participam de operações de combate e treinamento das forças de segurança afegãs sob o comando da Otan, e representam o maior contingente não pertencente à aliança ocidental.

A retirada começará quando Karzai der o sinal verde para a transferência da segurança às forças nacionais na província de Uruzgan, onde se concentra a maior parte do contingente australiano.

A decisão do presidente Karzai é esperada para "os próximos meses" e a retirada deve demorar de 12 a 18 meses, destacou Gillard. A previsão é que a operação de retirada das tropas australianas seja detalhada pela premiê no próximo mês, durante a cúpula da Otan em Chicago. 

Ataques

No domingo, violentos combates entre militantes e forças de segurança nas ruas do centro da capital do país, Cabul, e em outras três cidades deixaram ao menos 47 mortos, após 18 horas de tiroteios e explosões.

Os confrontos, que começaram por volta do meio-dia de domingo (hora local), espalharam-se durante a noite por bairros centrais da capital afegã e paralisaram o bairro governamental da cidade. Houve combates também em três outras províncias afegãs, no que a milícia islâmica do Taleban, que assumiu a autoria da ofensiva, disse ser o início de uma ofensiva de primavera.

Karzai relacionou os ataques militantes de domingo no país a falhas de inteligência, especialmente da Otan.

*Com EFE

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.