Festa de Berlusconi teve 'freiras strippers', diz modelo

Em julgamento de ex-premiê italiano, testemunha afirma também que brasileira usou máscara de Ronaldinho em festa em mansão

iG São Paulo |

Uma testemunha no julgamento do Silvio Berlusconi disse que strippers vestidas como freiras se apresentaram para o ex-primeiro-ministro italiano , enquanto uma brasileira teria usado uma camisa do Milan e uma máscara do jogador brasileiro Ronaldinho em uma festa em uma mansão.

Acusação: Três são indiciados por recrutar jovens para festas de Berlusconi

AFP
A modelo Imane Fadil chega à corte de Milão durante julgamento do ex-prêmie Silvio Berlusconi por escândalo sexual

Gravidez: Nasce filha de Ruby, pivô de escândalo sexual de Berlusconi

A modelo Imane Fadil disse ter recebido 2 mil euros de Berlusconi na primeira vez em que compareceu a um "bunga bunga" - festa erótica em que as moças tiram a roupa, dançam, beijam-se e tomam banho para 'divertir' um grupo de convidados.

Imane foi uma de várias mulheres que foram a uma corte de Milão nesta segunda-feira para testemunhar no julgamento em que Berlusconi é acusado de pagar para manter relações sexuais com a dançarina marroquina Karima el-Mahroug quando ela era menor de idade. Conhecida como ' Ruby , a ladra de corações', Karima alegou ter mantido relações com o ex-premiê quando tinha 17 anos.

O ex-premiê também é acusado de abusar de seus poderes para fazer com que a polícia soltasse Ruby da prisão quando foi presa por roubo. A modelo Imane disse ter participado de várias festas na casa de verão de Berlusconi em Arcore, nos arredores de Milão.

Ela alegou que, na primeira noite em que foi, viu duas jovens fantasiadas de freiras tirando as roupas para o primeiro-ministro. De acordo com ela, uma das jovens era Nicole Minetti, agora uma conselheira regional em Milão do partido Povo da Liberdade, de Berlusconi. A modelo afirmou que Nicole e a outra mulher vestida de freira passaram a noite na casa de veraneio. Segundo ela, mulheres que participavam das festas bunga bunga recebiam mais para fazer sexo.

Na audiência, a modelo também contou que a jovem brasileira Íris Berardi teria vestido a camisa do time do qual o ex-premiê é proprietário e colocado uma máscara do atacante brasileiro antes de tirar a roupa e ficar apenas com uma tanga. Essa festa, relatou, teria ocorrido em agosto de 2010.

O jornal italiano Corriere della Sera relatou na semana passada que Berlusconi pagou um total de 127 mil euros para três testemunhas mulheres, incluindo Nicole Minetti, desde o início do julgamento, no ano passado.

O advogado de Berlusconi, Niccolo Ghedini, negou que os pagamentos fossem uma tentativa de influenciar o testemunho das mulheres, afirmando que eram legais e refletiam a "usual generosidade" do ex-premiê, segundo a AFP.

Esse é um dos três julgamentos em que o empresário e ex-primeiro-ministro é atualmente réu. Os outros dois se relacionam à fraude fiscal e à violação de segredos oficiais, enquanto no início deste ano uma corte italiana descartou um quarto caso vinculado a alegações de suborno . Berlusconi renunciou em novembro de 2011 em meio a preocupações sobre a economia da Itália .

*Com BBC e Ansa

    Leia tudo sobre: berlusconiitáliacaso rubyrubyescândalo sexual

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG