Versões não confirmadas indicam que o acidente pôde ser provocado por prisioneiros que planejavam uma fuga em massa

O número de mortos pelo incêndio da prisão da cidade de Comayagua, Honduras , aumentou neste domingo para 359 com a morte em Tegucigalpa do réu Wilson Recarte, de 30 anos, informou à Agência Efe uma fonte do Ministério Público.

Itamaraty: Brasileiro internado por incêndio em Honduras tem quadro estável

"Hoje foi registrado mais um morto no Hospital Escola da tragédia da prisão de Comayagua" na terça-feira passada, disse o porta-voz do Ministério Público, Melvin Duarte. Com a morte de Wilson sobe para seis o número de réus falecidos dos dez que foram internados na quarta-feira passada no Hospital Escola.

Mulher chora depois de confirmada a informação de que um de seus parentes morreu no incêndio em uma prisão de Honduras
AP
Mulher chora depois de confirmada a informação de que um de seus parentes morreu no incêndio em uma prisão de Honduras
O acidente da colônia Agrícola Penal de Comayagua, no departamento central do mesmo nome, aconteceu entre a meia-noite de terça-feira e a madrugada da quarta-feira, por causas que ainda são desconhecidas, embora sejam investigadas por especialistas dos Estados Unidos.

Versões não confirmadas divulgadas por alguns meios de imprensa locais indicam que o acidente pôde ser provocado por prisioneiros que planejavam uma fuga em massa, enquanto outros asseguram que obedeceu à queima de um colchão por parte de um prisioneiro, enquanto que os bombeiros não descartam que tenha sido por causa de um curto-circuito.

Leia também: Veja as piores tragédias em prisões da América Latina nos últimos 15 anos

Uma das 359 vítimas era uma mulher que tinha ficado na prisão acompanhando seu marido, um dos quatro réus que continuam hospitalizados em Tegucigalpa. No dia da tragédia as autoridades da prisão tinham um registro de 852 reclusos, mais do dobro de sua capacidade.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.