MPF-GO pede suspensão do empréstimo à Celg

Procurador Cláudio Drewes entrou com liminar pedindo paralisação da operação de R$ 3,7 bi

Rodrigo Viana, iG Goiânia |

O Procurador da República em Goiás, Cláudio Drewes, protocolou, na última terça-feira (16) ação para suspender o empréstimo de R$ 3,7 bilhões à Companhia Energética de Goiás (Celg).

A primeira parcela do montante, de R$ 1,2 bilhão, está prevista para 30 de novembro.

No entanto, o Ministério Público federal comunicou ao BNDES e à Caixa Econômica Federal que não façam o repasse até que o caso seja julgado.

O procurador afirma, na ação, que o pagamento de débitos reconhecidos e lícitos não está garantido e questiona o fato do Estado estar inadimplente com a União, o que inviabiliza o empréstimo.

Drewes ainda afirma que há contratos da estatal sob investigação no Ministério Público Estadual.

À época da assinatura do contrato, no início de setembro, o PSDB já criticava a falta de transparência do acordo feito pelo governador Alcides Rodrigues (PP).

Agora, a equipe de transição de governo do PSDB volta a bater na tecla  e elegeu a busca de dados do empréstimo como prioridade até 31 de dezembro.

Segundo informações divulgadas ainda em setembro, a primeira parcela serviria para pagamentos da Cota de Consumo de Combustíveis Fósseis (R$ 369 milhões) e Cota de Desenvolvimento Energético (R$ 354 milhões), por meio da Eletrobras, entre outras dívidas.

O Governo, a Caixa e o BNDES ainda não se pronunciaram sobre o assunto.

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG