Rio de Janeiro, 4 mai (EFE).- O Ministério Público (MP) do Amapá informou hoje que investiga a morte de 57 bebês neste ano na única maternidade pública de Macapá.

Rio de Janeiro, 4 mai (EFE).- O Ministério Público (MP) do Amapá informou hoje que investiga a morte de 57 bebês neste ano na única maternidade pública de Macapá. Promotores do MP citados pela "Agência Brasil" alegaram que, dos 1.755 bebês nascidos na maternidade Mãe Luzia de Macapá neste ano, 57 morreram. A taxa de mortalidade neste ano chegou a 32 bebês por cada mil nascidos, um número que dobra o de 2009, quando se registrou um índice de 16,6 bebês mortos por cada mil nascidos. O centro médico atende gestantes de 16 municípios do Amapá, além de pacientes de outros oito municípios do Pará. A direção do hospital, que dispõe de sete berços de terapia intensiva para atender bebês prematuros, alega que muitas das mães que chegam à maternidade são muito jovens e não fizeram exames pré-natais. A gravidade da situação levou um grupo de mães a apresentar uma denúncia ao Ministério Público do estado, que iniciou uma investigação sobre o caso. Na semana passada, a Secretaria de Saúde de Alagoas também iniciou uma investigação na maternidade pública de Santa Mônica, especializada em gravidez de alto risco, onde em abril morreram 19 bebês. A principal causa de mortalidade na maternidade de Santa Mônica foram as infecções hospitalares e as infecções contraídas pelos bebês prematuros durante a gravidez, agravadas pela falta de infraestrutura e pessoal de saúde. Os próprios hospitais assinalam a falta de médicos especialistas em neonatologia e de berços adaptados para oferecer tratamentos intensivos como as principais causas que explicam as altas taxas de mortalidade. EFE af/sa

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.