Centenário de Kurosawa é comemorado na Mostra de São Paulo

Exposição, filme restaurado, livro e assistente do cineasta estarão no evento

Marco Tomazzoni, iG São Paulo |

Pela segunda vez, o diretor japonês Akira Kurosawa (1910-1998) assina o cartaz da Mostra Internacional de Cinema de São Paulo, no ano em que se comemora seu centenário de nascimento. A ilustração utilizada no pôster integra a exposição "Kurosawa – criando imagens para cinema", com 80 storyboards desenhados pelo cineasta desde 1980, que chega ao Brasil depois de ser exibida apenas em Tóquio. É parte do que o diretor e fundador da Mostra, Leon Cakoff, afirma ser a "maior celebração mundial" dos 100 anos de Kurosawa.

Com dificuldades para financiar "Kagemusha", no início da década de oitenta, Kurosawa resolveu ele mesmo desenhar o filme inteiro para não perder as ideias que tinha imaginado. "Ele tomou gosto pela coisa e fez isso em todos os longas seguintes", conta Ricardo Ohtake, diretor geral do Instituto Tomie Ohtake, que sediará a exposição. As tratativas para a vinda do material começaram no ano passado e se estenderam até há pouco. "A gente sabe, os japoneses são fogo para discutir as coisas", brincou Ohtake.

Quando jovem, Kurosawa queria ser pintor. Talentoso, aos 18 anos chegou a expor trabalhos no The National Art Center, em Tóquio, mas ao ascender na carreira de cineasta, abandonou as artes plásticas e até queimou suas obras antigas. Estarão no Instituto Tomie Ohtake storyboards dos filmes "Kagemusha" (1980), "Ran" (1985), "Sonhos" (1990), "Rapsódia em Agosto" (1991), "Madadayo" (1993) e "Sob o Olhar do Mar" (último roteiro de Kurosawa, dirigido por Kei Kumai em 2002).

Fã dos desenhos de Kurosawa, o diretor Martin Scorsese já fez público seu deslumbramento com os detalhes que o mestre japonês previa – Scorsese interpretou o pintor Van Gogh no filme "Sonhos". "Ao ver os desenhos que ele dera para minhas cenas, lembro-me da sua precisão em absolutamente tudo – quantos passos dar durante a filmagem, o posicionamento dos braços, o tamanho das pinceladas, o modo com que meus olhos e minha barba seriam enquadrados. Ao olhar essas pinturas e desenhos, pode-se sentir que ele vive e respira cinema – elas estão esperando para serem realizadas e postas em movimento."

A festa continua com a presença na programação de uma cópia restaurada de "Rashomon" (1950), um dos clássicos da obra do diretor e do cinema mundial. Além disso, Teruyo Nogami, produtora e braço-direito de Kurosawa por 50 anos, virá a São Paulo para o lançamento da edição brasileira do livro "À espera do tempo – filmando com Kurosawa" (Cosac Naify, 320 páginas, R$ 69). A obra reúne artigos escritos por Nogami, desenhos e fotografias dos bastidores dos 19 longa-metragens em que ela trabalhou ao lado de Kurosawa.

Serviço – "Kurosawa – criando imagens para cinema"
Instituto Tomie Ohtake, em São Paulo
Av. Faria Lima, 201 (entrada pela Rua Coropés)
Abertura no dia 22 de outubro, às 20h (convidados)
Até 28 de novembro de 2010
De terça a domingo, das 11h às 20h
Entrada franca
Informações: (11) 2245-1900


Serviço – "Rashomon" na Mostra Internacional de Cinema de São Paulo
Duração: 88 minutos
Cinemateca - Sala BNDES, 23/10 (sábado), às 18h10, sessão 148
Cinemateca - Sala BNDES, 31/10 (domingo), às 20h20, sessão 964

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG