Cerimônia no Ibirapuera dá a largada para Mostra de São Paulo

Abertura contou com a presença da ministra Marta Suplicy e teve a exibição do chileno "No"

Marco Tomazzoni - iG São Paulo |

Foi dada a largada. Na noite desta quinta-feira (18), no Auditório Ibirapuera, a exibição de "No" , do chileno Pablo Larraín, abriu a 36ª edição da Mostra Internacional de Cinema de São Paulo . A cerimônia contou com a presença da ministra da Cultura, Marta Suplicy, que pouco depois de deixar o palco saiu para assistir ao debate dos candidatos à prefeitura da cidade, assim como o atual prefeito, Gilberto Kassab.

Futura Press
A diretora-geral da Mostra de São Paulo, Renata de Almeida, e a ministra da Cultura, Marta Suplicy

Marta declarou que o festival retrata "a identidade da produção audiovisual brasileira e a pluralidade da produção internacional, que chega ao Brasil em busca de mercado e reconhecimento". Lembrou ainda as origens da Mostra, no final da década de 1970, que, por instituir uma premiação baseada na escolha do público, se tornou "o único lugar onde se podia votar". A ministra divertiu o público ao cometer alguns deslizes, como comentar que frequentava o evento "na adolescência" e chamar Serginho Groisman, o mestre de cerimônias, de "Carlinhos".

Siga o iG Cultura no Twitter

Já Kassab comemorou a etapa final do processo de desapropriação do Cine Ipiranga, no centro da cidade. Segundo ele, o prédio abrigará no futuro um cinema municipal, um "centro importantíssimo" para divulgar a produção local.

A cerimônia contou ainda com a presença do filho do cineasta russo Andrei Tarkóvski , grande homenageado desta edição da Mostra. Além de uma retrospectiva completa, livros e debates, a exposição "Luz Instantânea" , em cartaz no Masp, se destaca, ao reunir polaroides feitas pelo diretor.

"A Mostra é um pensamento. Se não tiver patrocínio, acabou", diz Renata de Almeida

Falando italiano, que considera mais próximo do português do que russo, francês e inglês, as línguas que domina, Andrei Andreiévitch Tarkóvski agradeceu a acolhida. "Foi uma surpresa saber que no Brasil a obra de meu pai é tão conhecida, amada e estudada", disse. "Mas muita gente não sabe do trabalho dele como fotógrafo e espero que vocês possam descobrir essa nova faceta."

A diretora-geral da Mostra, Renata de Almeida , convocou o público para assistir à cópia restaurada de "Nosferatu", clássico mudo de horror de F.W. Murnau, que será exibido ao ar livre, no parque do Ibirapuera, na noite de 2 de novembro, dia seguinte ao encerramento. A Orquestra Petrobras vai executar ao vivo a trilha sonora durante a projeção.

Leia também: Como ver filmes de graça na Mostra de São Paulo

Em 2010, a Mostra de São Paulo fez uma comemoração similar com "Metrópolis", de Fritz Lang, visto por 12 mil pessoas.

Filmes de mais de 60 países, além de 60 longas-metragens brasileiros, estão na programação, que se espalha por 28 salas da cidade.

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG