Los Angeles prepara megaoperação para funeral de Michael

Antonio Martín Guirado. Los Angeles (EUA), 4 jul (EFE).- A Polícia de Los Angeles planeja uma grande operação para o funeral de Michael Jackson na próxima terça-feira, um evento cuja segurança será responsabilidade da cidade, embora as autoridades já tenha pedido ajuda ao setor privado.

EFE |

A rádio local "KFI", que citou hoje fontes do departamento policial, disse que mais de 1.400 agentes estarão encarregados de controlar os fãs do cantor que se amontoarão nos arredores do Staples Center, ginásio onde acontecerá a cerimônia.

"Deve haver apenas uma entrada para chegar ao local", advertiu Earl Paysinger, da Polícia de Los Angeles. "Não há outra maneira de entrar", completou.

Oficiais da Polícia consultados pela rádio comentaram que um desdobramento assim normalmente demora para ser organizado, geralmente semanas ou até meses.

A cidade de Los Angeles recorrerá a um fundo especial do orçamento da cidade, fixado para eventos extraordinários, para pagar os custos de segurança associados ao funeral, embora a prefeita interina, Jan Perry, já tenha pedido ajuda a entidades privadas interessadas em "honrar" o cantor.

O dinheiro arrecadado seria destinado a cobrir outras despesas com transporte, serviços de saúde, coleta de lixo e na própria homenagem.

Rhonda Sims-Lewis, administradora da Polícia da cidade, lembrou que a cada ano o departamento precisa enfrentar eventos extraordinários como este.

No entanto, mostrou sua preocupação com o uso tão cedo dessa parte do orçamento. "Se sofrermos um terremoto, uma inundação ou uma série de incidentes, isso poderia nos devastar", explicou.

O ano fiscal começou em 1º de julho e a quantia fixada para as horas extras do corpo policial é de US$ 90 milhões.

O funeral de Michael Jackson será transmitido de forma gratuita no mundo todo e poderá ser assistido pelas 17.500 pessoas que consigam uma das entradas gratuitas, que serão distribuídas em um sorteio.

Menos de oito horas depois do anúncio, feito ontem, cerca de 525 mil pessoas já tinham se registrado para tentar um ingresso para funeral de Michael.

Embora Perry tenha recomendado que os que não tiverem bilhete acompanhem a homenagem de casa, espera-se que entre 250 e 700 mil pessoas se amontoem nas imediações do ginásio.

Tudo isso apesar do fato de que haverá um amplo perímetro de isolamento montado pela Polícia.

"O importante é a segurança pública, mas há um custo", disse Dennis Zine, vereador da cidade, ao canal "Fox". "E se a família Jackson vai gastar US$ 25 mil em um caixão dourado, acho que a AEG (organizadora do funeral) e a família poderiam ajudar", acrescentou.

Segundo o portal "TMZ", especializado em informação sobre famosos, os amigos e familiares de Michael Jackson pediram um caixão de bronze, banhado a ouro 14 quilates, com veludo azul em seu interior, do mesmo tipo que o usado no enterro de James Brown.

Perry disse que a família Jackson não se pronunciou ainda sobre o pagamento dos custos do funeral. "Não conheço nenhuma atividade da família a respeito", afirmou.

Zine, antigo membro do departamento de Polícia de Los Angeles, cidade que tem déficit que beira US$ 500 milhões, comandou os esforços para recolher fundos privados para o aparato policial e a comemoração do Lakers após o título da NBA (liga de basquete americana).

"Fizemos os desfiles do Lakers, mas não existem precedentes para isso", admitiu Perry. EFE mg/rr

    Leia tudo sobre: michael jackson

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG